AGÊNCIA PROIFES

SINDIEDUTEC faz participação histórica no XIV Encontro Nacional do PROIFES

Notícias PROIFES

SINDIEDUTEC faz participação histórica no XIV Encontro Nacional do PROIFES

O XIV Encontro Nacional do PROIFES-Federação, que aconteceu entre os dias 25 e 28 de julho deste ano, resgatou uma trajetória de 14 anos de vitórias e desafios. Realizado em São Luís, capital maranhense, o Encontro Nacional, instância máxima de deliberação do PROIFES, debateu cinco temas principais, que geraram 39 textos com foco especial nas questões de carreira e remuneração e no projeto de sucateamento da educação propostos pela contrarreforma neoliberal brasileira. A participação do SINDIEDUTEC-Sindicato foi central para o amadurecimento dos debates.
Na fala de abertura, o presidente do PROIFES, Nilton Brandão, do SINDIEDUTEC, chamou a atenção para o desafio posto para a categoria nas eleições nacionais deste ano e no compromisso da categoria na luta para eleger candidatos comprometidos com a revogação da Emenda Constitucional 95. “Neste momento vivemos uma crise muito séria e que pode comprometer todas as conquistas dos últimos anos. O PROIFES não se destaca ao longo do tempo somente pelas pautas da carreira e diálogos, mas também pelo debate político de forma mais ampla sobre educação, e é isso que viemos fazer aqui”, afirmou o presidente.

Revogação da Emenda Constitucional 95

Entre os principais pontos, a necessidade da revogação da Emenda Constitucional 95. “É o mínimo obrigatório se quisermos que a Educação e o Brasil tenham futuro”, afirmou o professor Gil Vicente, da ADUFSCar, que fez, ainda, a defesa de uma reforma fiscal solidária, considerando estes dois aspectos elementos de um enfrentamento inevitável.

Participação Histórica

O SINDIEDUTEC teve uma participação histórica com oito delegados e cinco observadores, além de produzir oito dos 39 textos publicados, ou seja, a maior participação em produção de conteúdos entre os sindicatos federados. Os temas expuseram com clareza os desafios da carreira EBTT e os problemas enfrentados no IFPR.

O professor Dalvani Fernandes (Campus Curitiba) expôs os desafios na formação dos Núcleos Sindicais de Base e propôs formas de articulação com a base em um amplo projeto de politização. O professor Otávio Sampaio, Presidente do SINDIEDUTEC, apresentou dois textos, expondo uma análise de conjuntura sobre a luta de classes no Brasil evidenciando o papel docente enquanto trabalhador da educação e mostrando o processo de alienação profissional e também apontou um histórico sobre os movimentos de caminhoneiros e sua característica conservadora.

A defesa pelo fortalecimento dos cursos técnicos integrados ao ensino médio na Rede Federal, enquanto bandeira de luta do PROIFES foi o tema defendido pela professora Adnilra Sandeski (Campus Curitiba), mostrando o risco do desmonte das políticas educacionais dos Institutos Federais com o fim dos cursos técnicos integrados na Reforma do Ensino Médio.

O professor Josimar Priori (Campus Paranavaí) apontou o problema da precarização do trabalho docente e as consequências danosas para a saúde do trabalho docente da ideologia do “produtivismo” acadêmico. A defesa deste tema causou polêmica na plenária e foi importante para o debate em torno do excesso das atividades docentes.

Os problemas da implantação da Reforma do Ensino Médio e os impactos nos Institutos Federais foi debatido no texto de Thiago Divardim e Elizabete dos Santos (ambos do Campus Curitiba), que não compareceram ao evento, mas que foram representados pelo professor Nilton Brandão.

A professora Lívia Lara da Cruz (Campus Astorga) apresentou o texto sobre o movimento sindical e a luta pelos direitos humanos, evidenciando como a defesa dos direitos humanos é importante para a luta sindical num momento de avanço dos ataques conservadores a este tema.

Outro tema que causou polêmica na plenária e que reflete uma situação que, historicamente tem sido enfrentada pelo SINDIEDUTEC no IFPR, foi o Assédio Moral, em texto apresentado pelo professor Marcos Paulo Rosa (Campus Goioerê). O trabalho mostrou uma triste realidade para o IFPR e reverberou durante todo o evento, nas falas de professores EBTT de diversos campus espalhados pelo Brasil, o que mostra a importância dos sindicatos enfrentarem este problema.


De maneira geral, os textos produzidos pela delegação do SINDIEDUTEC pautaram a situação problemática da carreira EBTT e mostraram a importância do PROIFES-Federação em pautar estes problemas em suas bandeiras.

Entre as propostas aprovadas no Encontro está a realização de um Seminário, em novembro, sobre os 10 anos da criação dos Institutos Federais e a carreira do EBTT, momento que o SINDIEDUTEC estará presente para refletir sobre nossos avanços e dificuldades e consolidar as principais bandeiras de luta para nossa carreira.

Rogério Marlier com contribuição dos jornalistas do PROIFES-Federação

Notícias Relacionadas

Agência Proifes

Notícias Relacionadas

Agência Proifes

Menu