AGÊNCIA PROIFES

Reunião mediada pelo Adufg discute projeto que flexibiliza contratações de pessoal em novas universidades

Notícias PROIFES

Reunião mediada pelo Adufg discute projeto que flexibiliza contratações de pessoal em novas universidades

O Sindicato dos Docentes das Universidades Federais de Goiás (Adufg-Sindicato) mediou na tarde de segunda-feira (08/03), reunião virtual entre dirigentes das novas universidades que podem ser contempladas pelo Projeto de Lei Complementar nº 266/2020 e o deputado federal José Nelto (Podemos-GO), que é relator da matéria. O projeto modifica a lei do Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus, excluindo a Empresa Brasileira de Serviços Hospitaleres (Ebserh) e as cinco universidades da regra que proíbe a admissão de servidores públicos até o fim de 2021.O texto já foi aprovado pelo Senado e está em análise da Câmara Federal.

Na ocasião, o presidente do Adufg-Sindicato, professor Flávio Alves da Silva, destacou que, por causa das restrições impostas pela lei, as universidades criadas em 2018 e 2019 não conseguiram implantar as estruturas administrativa e acadêmica suficientes para que possam funcionar completamente. “Neste momento de pandemia, é necessário oferecer melhores condições para que as universidades funcionem de forma adequada, inclusive no enfrentamento à crise provocada pelo coronavírus”, afirmou.

Caso seja aprovado, o projeto contemplará as seguintes instituições: Universidade Federal de Catalão (UFCAT), Universidade Federal de Jataí (UFJ), Universidade Federal de Rondonópolis (UFR), Universidade Federal do Delta do Paraníba (UFDPar) e Universidade Federal do Norte do Tocantins (UFNT). Hospitais universitários, como o Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Goiás também poderão preencher quadros emergenciais causados pela pandemia.

O deputado federal José Nelto prometeu tentar levar o projeto para votação nos próximos dias. “É uma luta que começou no governo Temer para começar as novas universidades. Depois, lutamos para a criação do CNPJ. Foi uma luta difícil”, ressaltou.

Dificuldades
Na reunião, a reitora da UFCAT, professora Roselma Lucchese relatou que a situação das universidades é delicada. “Estamos aqui para conduzir as instituições da melhor forma possível, mas há uma grande sobrecarga nos nossos docentes e técnicos”, revelou.

O reitor da UFJ, professor Américo Nunes da Silveira Neto, por sua vez, destacou que o projeto tem sido amplamente discutido no Congresso. “Estivemos várias vezes com os parlamentares. A inclusão da Ebserh tornou o projeto ainda mais importante”, disse.

Para o presidente da Andifes e reitor da Universidade Federal de Goiás (UFG), professor Edward Madureira, é impossível imaginar como as novas instituições conseguem funcionar sem a estrutura. “A situação é gravíssima. Não podemos permitir que isso continue”.

Também participaram da reunião os diretores do Adufg, Luís Antônio Serrão Contim (Assuntos Interinstitucionais); Ana Christina Kratz (Convênios e Assuntos Jurídicos) e João Batista de Deus (Administrativo). A Proifes-Federação, por sua vez, foi representada pelo presidente Nilton Brandão e pelo diretor de Assuntos Educacionais do Magistério Superir, Geci José Pereira da Silva.

Fonte: Ascom ADUFG-Sindicato

Notícias Relacionadas

Agência Proifes

Notícias Relacionadas

Agência Proifes

Menu