Notícias PROIFES

PROIFES participa do XXX Congresso da CONADU para discutir Educação Superior na América Latina

Na última quinta-feira, 17, o Presidente do PROIFES-Federação, professor Eduardo Rolim de Oliveira, participou em Buenos Aires de Mesa Redonda para discutir a Educação Superior na América Latina, durante o XXX Congresso da CONADU, a Federação Nacional de Docentes Universitários da Argentina. A mesa também foi integrada pelo Prof. Carlos Gomez, Presidente da FAUECH (Federación Nacional de los Académicos de las Universidades Estatales de Chile), pelo Prof. Hugo Yasky, Presidente do Comitê Regional da  IEAL (Internacional da Educação da América Latina) e pelo Prof. Pedro Sanloretti, Secretário Geral da CONADU. A Mesa foi coordenada pelo Prof. Carlos de Feo, Diretor de Relações Internacionais da CONADU.

Rolim apresentou um painel sobre o perfil dos docentes das Universidades e Institutos Federais no Brasil, mostrando que hoje cerca de 87% dos professores federais brasileiros atuam no regime de Dedicação Exclusiva, sendo que dos ativos da Carreira do Magistério Superior (MS), 70% são doutores e 25% são mestres, enquanto que na Carreira do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico (EBTT), 17% são doutores e 44% são mestres. O presidente do PROIFES-Federação mostrou a evolução do perfil de titulação nos últimos anos, com um significativo aumento do número de doutores que eram 49% em 2006, chegando aos 70% de 2013, enquanto que o número de docentes passou de 53 mil para 70 mil no mesmo período.

Rolim explicou as profundas mudanças na organização sindical dos docentes federais que passaram as ser representados pelo PROIFES desde 2004, quando então houve uma necessária mudança na valorização e na autoestima dos professores após criação da nova entidade efetivamente representativa.

Com gráficos, mostrou que os acordos firmados pelo PROIFES de 2007 a 2012, possibilitou aos professores federais terem o maior salário real desde 1995 com a reestruturação das Carreiras, podendo hoje serem promovidos até à Classe de Titular. Também foi apresentada a qualidade das negociações que levaram à incorporação das gratificações que foram sendo criadas como forma de precarização da carreira antes do PROIFES passar a negociar, mostrando que hoje se alcançou o maior Vencimento Básico desde 1995. Ao final, Rolim ressaltou a preocupação do PROIFES-Federação com a situação da Previdência dos servidores públicos brasileiros, que perderam o direito à integralidade e à paridade desde 2004.

Carlos Gomez da FAUECH falou sobre a difícil situação dos docentes universitários Chilenos, onde a grande maioria têm apenas contratos temporários que podem ou não ser renovados a cada ano, dependendo da vontade dos reitores, e da mercantilização do Ensino Superior no Chile. Mesmo nas universidades públicas o ensino é pago, e hoje se observa um grande endividamento das famílias para que seus filhos acessem o ensino superior.

No debate que se iniciou a seguir, foram feitos questionamentos pelos delegados presentes ao Congresso e muitas comparações com a situação da Argentina, país onde o acesso ao ensino superior é universal, mas que tem uma enorme evasão no primeiro ano (tema que foi debatido no dia seguinte por Juan Carlos Tedesco, ex-ministro da Educação argentino). Além disso, foi discutida a carreira docente nesse país, onde ainda existe a figura da cátedra, a maioria dos docentes não tem dedicação exclusiva nem doutorado, sendo que é muito difícil o acesso à pós-graduação gratuita. Também apresentou-se dados que revelam a recuperação salarial nos últimos anos graças aos acordos firmados pela CONADU, que é a efetiva representante dos docentes universitários argentinos.

Na sexta-feira, 18, o Congresso aprovou a filiação de mais três novos sindicatos à CONADU, que agora passa a contar com 18 entidades de base, em todo o território argentino, mostrando que, da mesma forma que ocorre no Brasil com o PROIFES, cresce a adesão dos docentes a um sindicalismo sério, propositivo e não aparelhado por partidos políticos.

Neste mesmo dia participaram do evento a Profª Fátima da Silva, Vice-Presidente da IEAL e Comberthy Todriguez, secretário executivo da entidade na sede de San José na Costa Rica. Fátima, que é da diretoria da CNTE (Confederação dos Trabalhadores em Educação) mostrou a importância da CONADU e do PROIFES para a IEAL como organizadoras do setor da educação superior na América Latina, e da satisfação com o processo de filiação da FAECH, que junto com as entidades do Brasil, da Argentina, mais a ASPU da Colômbia, e das representantes da República Dominicana, do Peru e dos demais países passa a integrar o setor da IEAL que está em franco crescimento.

Comentou ainda a vital importância da integração dos países da América Latina que, segundo a dirigente sindical, não deve ser conduzido apenas pelos chefes de estado, mas sim pelos povos, sendo essa é uma tarefa dos movimentos sociais. Para Fátima, a participação do PROIFES e da FAUECH no Congresso da CONADU é a concretização deste processo que tem que continuar. Rodriguez falou da organização da IEAL, da construção do Movimento Pedagógico Latino-americano, que teve seu ápice este ano com a II Conferência em Recife e anunciou que o próximo Encontro das entidades da Educação Superior da IEAL será realizada em 24 e 25 de abril de 2014, em Porto Alegre, tendo a IEAL convidado o PROIFES a se responsabilizar por sua organização e conclamou a todos a lá estarem.

Notícias Relacionadas

Agência Proifes

Menu