Notícias PROIFES

PROIFES participa de seminário dos dois anos do PNE; ministro discursa na abertura

A Comissão de Educação da Câmara dos Deputados promoveu nesta quarta-feira (15) um seminário para analisar os dois anos do Plano Nacional de Educação (PNE). O evento contou com a presença do ministro da Educação, Mendonça Filho. O PROIFES-Federação acompanhou todas as intervenções e participou da mesa diretiva sobre valorização profissional.

Em discurso na abertura do seminário, o ministro em exercício afirmou que o modelo de governança do Brasil é centralizador e que é preciso “empreender à frente do Ministério da Educação (MEC) um modelo de cooperação e de parceria entre os estados e municípios, afinal de contas a educação não acontece no âmbito da união somente. O processo de cooperação é fundamental para que a gente possa alcançar as metas do PNE”, disse.

Mendonça Filho também reafirmou compromissos do governo Temer com a preservação das políticas sociais. “Não há projeto ou programa que não pode ser aprimorado, mas não faremos nenhuma mudança drástica”, pontuou.

À tarde, o vice-presidente da federação, Flávio Silva (Adufg Sindicato), ao lado do presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), Roberto Franklin de Leão, e da senadora Fátima Bezerra (PT-RN), debateu a valorização dos professores e questões centrais da educação.

“O PROIFES entende que professores devem ser valorizados como profissionais. Existe, hoje, uma grande diferença entre professores e profissionais como o mesmo nível de formação. Não estamos falando apenas de salário, tem que equiparar carreira também pra que seja atrativa, o que não é . A carreira deve ser estruturada pra que o professor possa ter perspectiva, constituir família. O professor tem que ser incentivado a fazer pós-graduação, se especializar, pra ter um salario melhor”, analisou o dirigente do PROIFES.

O professor ainda falou da intensa participação da entidade na construção e fiscalização do PNE. Citou o trabalho do GT-Educação e leu a última nota do grupo, já publicada no site (confira aqui).

Os três integrantes da mesa criticaram duramente a proposta de emenda constitucional (PEC) enviada ao Congresso que limita os gastos públicos à inflação do ano anterior, ou seja, sem aumento real, na educação e na saúde. “Vamos fazer muita pressão para combater esse retrocesso”, pontou Flávio Silva.

Leão e Fátima ainda destacaram o enfraquecimento do Fórum Nacional de Educação no novo Governo.

Otávio Bezerra Sampaio (SINDIEDUTEC) e Enio Pontes de Deus (ADUFC -Sindicato) também estavam presentes.

Notícias Relacionadas

Agência Proifes

Menu