Notícias PROIFES

PROIFES-Federação realiza o II Encontro Nacional sobre Assuntos de Aposentadoria, em Natal

Professores aposentados de todas as regiões do país, representando os sindicatos federados, prestigiaram a cerimônia de abertura do II Encontro Nacional sobre Assuntos de Aposentadoria do PROIFES-Federação, realizado na noite desta quinta, 01, em Natal, no Rio Grande do Norte.

O evento, que segue durante esta sexta-feira, 2, acontece no auditório do Centro de Educação, campus central da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, e visa reforçar a importância dos professores aposentados para a vida do Sindicato e abordar assuntos relacionados à aposentadoria a partir da análise das contribuições profissionais para a construção de uma proposta de formação continuada.

 

  

A abertura foi feita pela vice-presidente do ADURN-Sindicato, Gilka Pimentel, anfitriã do Encontro. Ao dar boas-vindas aos professores, a dirigente ressaltou o caráter de ousadia e protagonismo político da capital potiguar, apresentado em vídeo e ressaltou o papel do PROIFES-Federação, dos sindicatos e dos docentes aposentados na busca de fortalecer a política para os aposentados numa quadra política marcada pela perda de direitos.

A professora ressaltou a força, o poder de mobilização e a participação ativa nas questões sindicais, que vem resultando em conquistas para os professores aposentados. Para Gilka, os docentes aposentados precisam de um Sindicato, de uma Federação que lute, permanentemente pelos seus direitos, que seja depositário desta luta. “É preciso aproximar os professores aposentados das atividades dos Sindicatos, integrar e fortalecer sua participação nas instâncias sindicais e sua importância social e política no Movimento Docente”.

“Trazer o aposentado para a vida do Sindicato é não esquecer que, apesar da vida laboral ter sido encerrada, a sua atividade é permanente. A concepção do nosso Sindicato, da nossa Federação é de que este professor tem muito ainda a contribuir ”, afirmou Gilka Pimentel.

O diretor do Sindicato para Assuntos de Aposentadoria, José Maxwell, ressaltou o papel da comissão de apoio, designada em Portaria no ano de 2015, na discussão e promoção de ações voltadas para este segmento. “Essa comissão tem norteado as ações para os aposentados a nível de Sindicato”, enfatizou Maxwell. Segundo o dirigente, a meta do Sindicato é realizar eventos mensais voltados para os docentes aposentados, com o objetivo de “trazer o professor para a vida do Sindicato”.

Para Maxwell, em sua segunda edição, o Encontro consolida-se como um momento oportuno para os docentes aposentados participarem ativamente das discussões sobre as pautas e interesses do segmento.

“Oportunizar esses debates ao docente aposentado é de extrema importância para que os nossos direitos sejam resguardados e para que outros mais sejam alcançados. Nesse sentido o ADURN-Sindicato e o PROIFES-Federação têm se destacado à medida que, nos últimos anos, estas Entidades têm promovido cada vez mais debates tanto direcionados à categoria, quanto direcionados aos novos docentes que enfrentarão uma outra realidade previdenciária nos próximos anos”, disse Maxwell Albuquerque.

A pró-reitora de Gestão de Pessoas da UFRN, Miriam Dantas, representando no ato a reitora da Universidade, Ângela Paiva Cruz, falou da satisfação em participar do Encontro que reúne os docentes aposentados de diversas Universidades num espaço voltado para confraternização e o debate dos direitos relacionados à aposentadoria.

Ao falar do significado do Encontro para o PROIFES-Federação, o Diretor de Aposentadoria e Previdência, Nilton Brandão, pontuou que “dada a realidade nacional  dos novos aposentados, é fundamental que os sindicatos agreguem cada vez mais a força deste segmento, para que as entidades sejam espaços de participação e discussão de alternativas para reconquistar direitos perdidos e que, hoje, estão cada vez mais ameaçados”.

PROIFES-Federação

Após os pronunciamentos dos dirigentes que compuseram a mesa diretiva, o presidente do PROIFES, o professor Eduardo Rolim, agradeceu a presença de todos os convidados e afirmou que não podia abrir o Encontro sem relatar a agressão sofrida pelos manifestantes, incluindo a Federação e seus sindicatos, que participaram no último dia 29 da Caravana Ocupa Brasília, com objetivo de impedir a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 55 no Senado. “A truculência da repressão a um ato legítimo e constitucional de livre manifestação popular reflete a falta de diálogo do governo Temer, que tem a violência como vício de origem, e a repressão como prática”.

Para o dirigente, o momento político no Brasil é desafiador. “Nesse momento de resistência é preciso entender o papel das entidades sindicais frente a um processo de mudanças institucionais que estão longe de ser democráticas, mas não recuaremos na denúncia do desmonte do Estado e do serviço público em curso, com a PEC 55 e as demais medidas de ‘ajuste fiscal’. Não sairemos das ruas e não nos intimidaremos”, observou.

Rolim frisou que o PROIFES, por ser uma entidade plural, precisa entender as diversas visões que existem internamente, porém sem admitir qualquer tipo de retrocesso. “O PROIFES não tem medo de estar em todos os espaços pela luta por uma educação universal, pública e de qualidade. Essa é a nossa busca diária”, pontuou.

O dirigente reafirmou os compromissos da Federação, que já se consagrou como uma das entidades que mais debateu e apresentou estudos sobre a nova realidade dos servidores públicos federais no que diz respeito à aposentadoria.

Projeto SINTA AMOR

A abertura do Encontro foi abrilhantada pela apresentação cultural do grupo Sinta Amor, composto por docentes aposentados da Universidade Federal do Rio Grane do Norte.

Antes da apresentação do coral, a coordenadora do Projeto, Carmélia Martins, expôs o objetivo e a dinâmica do grupo que visa contribuir para a melhoria da qualidade de vida dos professores aposentados da UFRN, através da oferta de uma série de atividades integradas, de caráter preventivo e de manutenção da saúde integral.

“O Sinta Amor pretende preencher uma lacuna no tocante a uma assistência ao professor aposentado através de atividades diversificadas contemplando tanto a parte intelectual como a parte voltada para o lazer e exercícios físicos, promovendo assim a saúde e bem estar desse segmento. O professor aposentado vai se sentir acolhido pela UFRN. É uma forma de reconhecimento do trabalho que foi prestado por ele à Instituição”, ressalta a professora Carmélia Martins.

Homenagem

O evento contou com um momento de justa homenagem à contribuição do professor Celso Matias de Almeida, do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal do Rio Grande do Norte no processo de construção dos saberes profissionais da UFRN, com a exibição de um vídeo com depoimentos de amigos e colegas de profissão e a entrega de uma placa  que ressalta a trajetória acadêmica do homenageado, marcada por uma expressiva contribuição intelectual à Academia, através da dedicação à pesquisa e à docência.

A homenagem é realizada anualmente pelo ADURN-Sindicato, através de sua diretoria de Assuntos para Aposentadoria.

Alheio ao peso do tempo , o professor doutor Celso Matias de Almeida, ao agradecer a homenagem, afirmou que, “aos 88 anos, está ainda em plena atividade”.

Celso Matias de Almeida

Celso Matias de Almeida nasceu em 04 de março de 1928, no município de Euclides da Cunha, interior da Bahia. Cursou o primário e o ginásio no estado de Sergipe e concluiu o curso superior na Faculdade de Medicina da Universidade Federal da Bahia em 1952, quando foi contemporâneo do Professor Leide Morais, magnífico Diretor da Maternidade Escola Januário Cicco e de Dr Hellen Costa, renomado cardiologista de Natal.

Atuou como médico generalista durante 10 anos (1953-1963) no município de Currais Novos/RN, aonde foi trabalhar por intermédio do seu padrinho, Dr. Minéo Salustino, filho do Desembargador Tomaz Salustino Gomes de Melo. Durante este período, conheceu sua esposa com quem constituiu família formada por seis filhos e cinco netos.

O homenageado concluiu, em 1963, o curso de Pós-graduação em Fisiologia no Instituto de Fisiologia e Nutrição da Universidade Federal de Pernambuco e, posteriormente, Especialização em Geriatria no Instituto de Geriatria da PUC-RS (1984).  Celso Matias também é professor aposentado de Fisiologia e de Semiologia Médica, disciplinas da Graduação de Medicina da UFRN, onde ministrou aulas de 1963 a 1995 e ficou conhecido pelos alunos como “o homem da ética médica”, um incentivador da relação humanizada médico-paciente. Em 2001, ele recebeu o Diploma de Professor Emérito da UFRN e, em 2009, a Comenda Professor Onofre Lopes da Silva oferecida pelo Conselho Regional de Medicina do RN.

Foi médico do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS), de 1964 a 1992, e cursou a Pós-graduação em Dor entre os anos de 2006 a 2008. Hoje, aos 88 anos de idade, encontra-se ainda em atividade profissional participando constantemente de Congressos de Geriatria e Gerontologia, além de Cursos de Atualização.

Fonte: ADURN-Sindicato

Notícias Relacionadas

Agência Proifes

Menu