Notícias PROIFES

PROIFES-Federação participa da Conferência Livre da Educação Superior – CONAPE 2018 em Belo Horizonte

A Universidade Federal de Minas Gerais foi palco das discussões da Conferência Livre da Educação Superior – ​Conape 2018​, promovida pelo Fórum Nacional Popular de Educação (FNPE), no dia 28 de março. Com o tema “Em defesa da Universidade Pública e da Democracia”, mais de 30 entidades e instituições de todo o país discutiram o desmonte da educação superior pública, a autonomia das universidades e o como o cenário político tem impactado a educação.

Representando o PROIFES-Federação, o professor Flávio Alves da Silva (ADUFG-Sindicato) cumprimentou a nova reitora da UFMG, professora Sandra Goulart, e prestou solidariedade à reitoria e à comunidade acadêmica pelos ataques ocorridos dias atrás na UFMG. Cumprimentou também os (as) representantes das diversas entidades presentes, em especial ao SindUTE, uma vez que a categoria se encontra em greve pelo pagamento do piso salarial. “É lamentável que Minas Gerais não pague o piso dos professores, na nossa opinião quem não cumpre o piso são governos conservadores e que não gostam da Educação, o que não é o caso do Governo de Minas Gerais, governos progressistas pagam o piso, vide o exemplo do estado do Maranhão que paga mais que duas vezes o valor do piso pago no estado de São Paulo. Sabemos que os​ governos anteriores dilapidaram o estado de Minas Gerais​, que passa por dificuldades financeiras gravíssimas, mas o governador Pimentel ​tem que usar toda a sua sensibilidade e atender a demanda da categoria para encerrar essa greve”, disse.

Com relação aos ataques às IFES, o diretor enfatizou os ataques do governo às universidades e institutos federais e reforçou que PROIFES denuncia esses ataques e luta em defesa da autonomia das universidades. Flávio afirma que todas as IFES têm sido atacadas por governos: “É o que aconteceu em Santa Catarina, aqui na UFMG e em várias outras universidades. Goiás também sofreu vários tipos de ataques, agora por exemplo, um procurador federal atacou à autonomia da UFG com relação a uma disciplina que a universidade está oferecendo sobre o golpe”.

Segundo o professor Flávio, a autonomia das IFES está sendo “caçada” por este atual governo. “O governo só tem reduzido ainda mais o investimento nas universidades, com único intuito de precarizar as mesmas​. Nos governos Dilma e Lula foram criadas várias universidades e institutos federais que estão na penumbra, sofrendo bastante para oferecer uma educação de qualidade”, disse.

Além disso, IFES estão sendo divididas pelo governo sem consulta à comunidade acadêmica, como em São Paulo e Pernambuco, “por isso temos que fazer a mudança imediata desse governo e o PROIFES-Federação está trabalhando efetivamente, denunciando esses ataques. A Ciência e Tecnologia vem também sofrendo golpes em cima de golpe. A redução nos investimentos é profunda e o Brasil demorará muitos anos para recuperar seu potencial em pesquisa”, afirma. Flávio ressalta que os países em pleno desenvolvimento investem continuamente e pesadamente em Ciência e Tecnologia e reconhecem que o seu desenvolvimento está fortemente atrelado ao crescimento da pesquisa.

O diretor do PROIFES encerrou sua fala afirmando a necessidade de união da categoria: “Os ataques estão acontecendo, mas é um momento de união de todos para que a educação não vá para o saco. O que o governo realmente quer fazer é privatizar toda a educação brasileira, desde a educação básica até a superior. A privatização do ensino só cresce, temos que nos unir contra isso”.

Conferências Livres

As conferências preparatórias e livres são espaços para as pessoas dispostas a participar do debate sobre educação, contribuindo com a construção da Política Nacional de Educação no contexto da Conape. As conferências são autoconvocadas e autogeridas, de formação, comunicação e mobilização social.

Dentro dos objetivos, as conferências promovem a difusão e o debate sobre sobre os desafios da educação superior e o papel estratégico da universidade no desenvolvimento do país e na garantia da soberania nacional. Além disso, promove o diálogo e estimula a participação de todas as entidades e pessoas interessadas em debater a educação nacional. As discussões da Conape 2018 irão compor um Documento Referência, que será levado ao FNPE.

Fonte: Ascom ADUFG-Sindicato

Notícias Relacionadas

Agência Proifes

Menu