Notícias PROIFES

PROIFES e sindicatos federados se mobilizam para a Greve Geral no dia 28

No próximo dia 28 de abril o Brasil vai parar. Uma Greve Geral neste dia vai mobilizar diversas categorias em todo o Brasil em defesa dos direitos sociais, contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC 287), mais conhecida como Reforma da Previdência, e contra a Reforma Trabalhista.

O PROIFES-Federação, e seus sindicatos federados, apoiam e participam da greve convocada para a próxima sexta-feira. Em reunião no dia 7 deste mês, em Brasília, o Conselho Deliberativo do PROIFES definiu por unanimidade indicar aos sindicatos federados a adesão a greve geral convocada pelas centrais sindicais para o dia 28 de abril, contra as reformas trabalhista e previdenciária, propostas pelo governo Temer.

Para Eduardo Rolim (ADUFRGS-Sindical), presidente do PROIFES-Federação, a adesão a greve geral do dia 28 é muito importante “para demonstrar ao governo a insatisfação da sociedade com estas reformas, que prejudicam sobretudo aos mais pobres.”

O projeto substitutivo da PEC 287 do relator, deputado federal Artur Maia, “consegue ser pior para os servidores do que o projeto original. Nossa posição é pela rejeição da matéria. Vamos às ruas dia 28 para dizer aos deputados federais que quem votar (na aprovação da Reforma) não vai voltar (nas eleições 2018)”, alertou Rolim.

Rio Grande do Norte

Os docentes da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, representados pelo ADURN-Sindicato, além de sindicalistas e profissionais ligados à área da educação seguirão a agenda de mobilizações no dia 28. Pela manhã, o ADURN-Sindicato realizará um ato político-cultural, a partir das 9h, no estacionamento do Centro de Convivência da UFRN. Às 15h, os docentes somam-se às demais forças políticas e sociais do campo progressista e participam da caminhada da Frente Brasil Popular, que sairá do cruzamento das avenidas Salgado Filho e Bernardo Vieira.  “Numa conjuntura difícil, em que a correlação de forças não é favorável para os movimentos sociais e sindicais, e frente à violação dos direitos trabalhistas e do processo de desmonte do Estado Social e das políticas públicas educacionais, apostaremos na utilização do instrumento de paralisação”, esclarece o presidente do ADURN-Sindicato, Wellington Duarte.

Rio Grande do Sul

Consulta Eletrônica realizada entre 14h do dia 20 de abril e 14h do dia 25 de abril de 2017, apontou que a maioria dos professores da UFRGS, da UFCSPA, do IFRS e do IFSul concorda com a adesão da ADUFRGS-Sindical à Greve Geral do dia 28 de abril.  Dos 966 participantes, 657 (68,01%) disseram SIM e 309 (31,99%), disseram NÃO para a adesão à greve. Com este resultado, o presidente da ADUFRGS-Sindical, Paulo Machado Mors, encerrou a Assembleia Geral Extraordinária iniciada em 20 de abril de 2017 e declarou oficialmente que o Sindicato se juntará aos demais trabalhadores na Greve Geral da próxima sexta-feira, contra as reformas do governo Temer. Para marcar o dia de luta, os professores programam um ato público, na sexta (28/04), às 10h, em frente à Faculdade de Educação da UFRGS (Faced), Campus Centro. Depois, seguem em caminhada até o Largo Glênio Peres, no Centro da Capital.

Bahia

No dia 04 de abril, docentes aprovaram em Assembleia Geral da APUB-Sindicato, por unanimidade, adesão à convocação de Greve Geral para o dia 28 de abril, com duração de 24 horas. Na assembleia, foram aprovadas a realização de: panfletagens em pontos da cidade, produção e distribuição de adesivos e cartazes contra as reformas e atualização da página do Sindicato com chamadas para a Greve Geral; manter articulação com DCE e ASSUFBA, criação de comissão provisória para cumprir com a agenda até o dia 28 e a participação de docentes representando a APUB nas plenárias. Haverá caminhada pelo centro da capital baiana, com concentração marcada para às 15 horas, no Campo Grande.

Paraná

No Paraná, o SINDIEDUTEC-Sindicato, notificou a Reitoria em relação à paralisação do próximo dia 28 de abril, como forma de proteger o servidor contra assédio por meio de ameaças de corte de ponto, o que é inconstitucional.  A greve do dia 28 é um ato contra todo o desmonte do estado empreendido pelo atual governo com foco nas Reformas da Previdência e Trabalhista. A paralisação no IFPR foi aprovada em assembleia geral ocorrida no último dia 17, por ampla maioria.

Goiás

Em Goiás, a greve está sendo organizada pelo Fórum Goiano contra as Reformas da Previdência e Trabalhista, construído pela ADUFG-Sindicato em parceria com outros sindicatos, movimentos sociais e entidades de representação estudantil. A concentração é às 8h da manhã em frente à Assembleia Legislativa de Goiás, na Praça Cívica. Professores (rede pública e particular), aeronautas, motoristas de ônibus, ferroviários, metroviários, vigilantes, metalúrgicos, petroleiros, bancários e jornalistas são algumas das categorias que já aprovaram participação na paralisação ou estão em estado de mobilização.

Maranhão

Em São Luis, o SINDUFMA participará da Greve.E as manifestações tendem a crescer, com as alguns dos sindicatos federados ao PROIFES que ainda estão em processos de consulta das bases para avaliar indicações de greve e paralisação.

Acompanhe esta e outras notícias na seção especial Reforma da Previdência no site do PROIFES

Notícias Relacionadas

Agência Proifes

Menu