#OCUPABRASÍLIA: Contra cortes, PROIFES-Federação participa de ato com centenas de trabalhadores da educação e estudantes em Brasília

Após os mais recentes ataques do Governo Bolsonaro ao orçamento da Educação, centenas de trabalhadores da área e estudantes mostraram que não estão dispostos a engolir a tentativa de sucateamento do Setor.

Nesta terça-feira (14), as ruas voltaram a ser tomadas pelos estudantes, professores e técnicos-administrativos dos demais setores da Educação, que se agruparam em uma luta conjunta com grupos do funcionalismo público, que também sofrem com a política de destruição e entreguismo que Bolsonaro exerce no país. 

O OCUPA Brasília reuniu trabalhadores da educação e estudantes, que protestam em defesa da pasta e contra os cortes do orçamento do MEC de 2022, que dificultam o funcionamento pleno das universidades públicas e instituições federais do Brasil.

Organizado pelo Fonasefe, o ato também abordou pautas como a recomposição inflacionária dos servidores públicos federais, contra a PEC 206 (que institui a cobrança de mensalidades nas IFES); a revogação da Emenda Constitucional 95 (Teto de Gastos); contra as privatizações, entre outros. A pauta unificada da educação federal será entregue ao MEC.

Dentre as autoridades presentes, Erika Kokay (PT-DF), concedeu entrevista ao PROIFES-Federação demonstrando seu descontentamento sobre o atual cenário: “Brasília está ocupada com gente que vem de todos os cantos desse Brasil para dizer que este país não aceitará os ataques que a educação tem sofrido. Nós temos não somente o corte de verbas para a educação e queremos a política que carrega a riqueza, que tenha conteúdo que liberta, e que tenha a troca de saberes” diz ela.

Para o Diretor Financeiro, Flávio Silva, que acompanhou de perto o ato, “O presidente Bolsonaro escolheu a educação como inimiga número um e tenta de  todas as formas destruir as universidades, também atacando fortemente os servidores públicos, que já estão há cinco anos sem reajuste”.

Concentrada a partir das 13h em frente ao Anexo II da Câmara dos Deputados, a manifestação seguiu em direção ao Ministério da Educação (MEC), onde se encerra com Ato Político Cultural com “Tambores do Amanhecer” e a apresentação do rapper GOG.

Igor Gutemberg

 

Menu