PROIFES | Federação de Sindicatos de Professores e Professoras de Instituições Federais de Ensino Superior e de Ensino Básico Técnico e Tecnológico

Comunicação

Notícias Proifes

Plenária do Servidor Público Estadual, Federal e Municipal discute ações conjuntas no Estado

Publicado em : 18/02/2020

O Sindicato dos Docentes das Universidades Federais em Goiás (ADUFG-Sindicato) recebeu nesta segunda-feira (17/02), a Plenária do Servidor Público Estadual, Federal e Municipal. Um dos principais objetivos foi discutir ações conjuntas entre servidores públicos das três esferas com foco na defesa dos serviços públicos, das empresas estatais, do Brasil e dos trabalhadores. O evento foi realizado de forma conjunta por entidades ligadas aos servidores.

Participaram do evento mais de 15 representantes de centrais e entidades sindicais, além de dois representantes de deputados federais do Estado de Goiás. A mesa foi composta pelo presidente do ADUFG, Flávio Alves da Silva, e pelo representante do Sint-Ifesgo, João Pires. Entre as entidades presentes também estavam CUT, CTB, Sintego, Sintef-GO, Sindsaúde, Sindsep, Intersindical, Sindifesp, SindReceita, Sindgestor, Sindperícias, SindMPU, entre outras.

O evento teve início com uma breve saudação por parte de cada um dos representantes presentes. Presidente do ADUFG-Sindicato, professor Flávio abriu as falas destacando os riscos da PEC 186 e da reforma administrativa para o serviço público. Ele destacou a importância da união sindical neste momento. “Precisamos nos organizar para atuar de forma conjunta”, disse Flávio, chamando atenção para a necessidade da união dos servidores públicos. O coordenador-geral do Sint-Ifesgo, Fernando da Motta, também destacou a importância do trabalho conjunto. "Estamos todos no mesmo barco, na luta contra este governo que quer acabar com o serviço público”.

Após a abertura, foi a vez da fala do palestrante convidado, Rudinei Marques, do Fórum Nacional Permanente de Carreiras Típicas de Estado (Fonecate). Graduado em Ciências Contábeis pela UFRGS (2002) e doutor em Filosofia pela PUCRS (2016), ele atualmente é auditor federal de finanças e controle do Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União. Ele abordou os principais projetos de reforma do governo federal e seus aspectos fiscais.

Para o palestrante, o Governo Federal segue no fluxo contrário ao dos países desenvolvidos do mundo ao aderir a “uma política de austeridade que vem, na verdade, agravando a crise”. Ele chamou a atenção em vários pontos para as falácias do governo em relação ao serviço público, começando pelo suposto peso gerado pelo número de servidores. “Em 1991, havia 650 mil funcionários públicos federais. Hoje, com um serviço muito maior, somos 600 mil. Ou seja, fazemos muito mais com menos, este não é um dos critérios da eficiência?”, questiona.

Segundo Rudinei, caso as reformas do governo passem, vai faltar não apenas servidor, mas serviço. “Não tem segredo, a realidade que a gente vislumbra é de colapso. A população vai procurar qualquer tipo de atendimento e não vai encontrar”, explica e adiciona que, de fato, o objetivo do governo nem é esse, e sim “cortar salário e pra isso eles já tem as PECs 186 e 188”.

Para ele, a situação só tende a se agravar, pois “quem está ditando política econômica de Estado de fato, hoje, é gente como o ‘Véio da Havan’, gente que não tem a mínima noção de como funciona o Estado”. Em oposição a isto, ele argumenta que o caminho é, realmente, a união sindical. “Precisamos reconstruir a mobilização do movimento e isto toma tempo. Parece que desaprendemos um pouco como mobilizar. Teremos que reinventar como se faz sindicalismo”.

Encaminhamentos
Ao final da plenária, ficou acertado que uma nova reunião será realizada nos próximos dias para discutir o calendário de atividades, tendo em vista a ação conjunta das entidades presentes e suas categorias. Espera se articular atos unificados tanto para a greve geral do serviço público no dia 18 de março quanto para a jornada do dia da mulher, agendada para o dia 9 de março, uma segunda-feira.

Também foi sugerido que, nesta semana, todas as entidades manifestem seu apoio à greve dos petroleiros para fortalecer suas reivindicações e seu posicionamento.

Por fim, será realizada uma reunião do Fórum Goiano para estender tais ações aos movimentos sociais agendada para a próxima quinta-feira (20) a ser realizada novamente na sede administrativa do ADUFG-Sindicato, às 14h.

Fonte: Ascom ADUFG-Sindicato





ADUFRGS leva alimentos saudáveis às comunidades

ADUFRGS leva alimentos saudáveis às comunidades

 07/04/2020

A ADUFRGS-Sindical entregou, na última sexta-feira, 3 de abril, 40 cestas de alimentos para entidades que trabalham com pessoas em situação de rua, indígenas e quilombolas da Capital, entre elas a iniciativa social Cozinheiros do Bem e a COOPSUL – POP RUA. [...]













GO!Sites