Notícias PROIFES

Nota Pública do PROIFES-Federação – Apoio integral à greve deflagrada pelos professores representados pelo SIND-UFMA

A exasperação com a demora do Governo Federal em apresentar resposta às pautas de reivindicação dos docentes federais (o PROIFES-Federação protocolou sua pauta desde o final de 2014), mesmo depois de transcorrido um mês do início do prazo proposto pelo próprio Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) para as negociações (maio a julho), e a reação à situação foram os motores para que os professores representados pelo SIND-UFMA deflagrassem greve a partir de 01 de julho de 2015,em Assembleia Geral realizada em 19 de junho de 2015.

O PROIFES-Federação tem dentre seus princípios fundantes a garantia da pluralidade de posições e da autonomia dos sindicatos federados. A Federação respeita a decisão de seus filiados, apoiando integralmente a Direção do SIND-UFMA na condução do Movimento.

Ao tempo que divulga o fato e apoia os colegas, a Federação afirma que seu gesto representa mais um alerta ao Governo Federal no sentido do atendimento imediato das propostas apresentadas pelos docentes e a defesa da Universidade pública, gratuita, democrática e de qualidade.

O PROIFES-Federação, dentro de sua obrigação legal, comunicará formalmente ao Governo sobre a deflagração da greve por tempo indeterminado pelos professores federais do Maranhão, representados por seu Sindicato e pelo PROIFES-Federação. Tal atitude está em consonância com a decisão do Conselho Deliberativo do PROIFES-Federação, reunido em 18 e 19 de junho, que indicou aos sindicatos federados a deflagração de greve nacional, ainda que continue defendendo e apoiando todas as formas de mobilização que seus sindicatos federados optem em seus fóruns legítimos de decisão, conforme sua forma autônoma de organização local, inclusive com a decisão de não realizar greve neste momento.

Igualmente reafirmamos aos professores filiados ao SIND-UFMA que sua entidade continuará plenamente integrada aos movimentos nacionais da Federação, de mobilização e de negociação, e que o sindicato poderá estar representado nas Mesas de Negociação que forem estabelecidas entre o Governo e o PROIFES-Federação.

Na defesa das Universidades e Institutos Federais brasileiros, na defesa dos professores e professoras federais e da educação pública. Contra o contingenciamento dos recursos da educação e contra os ajustes fiscais que penalizam apenas os trabalhadores.

Brasília, 23 de junho de 2015.

Prof. Eduardo Rolim de Oliveira

Presidente do PROIFES-Federação

Notícias Relacionadas

Agência Proifes

Menu