Notícias PROIFES

Nota dos Institutos Federais do RS sobre reunião com a Setec sobre reordenamento dos campi

Na última segunda-feira, 9, os reitores dos IFs se reuniram com a Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Setec (Setec) do Ministério da Educação (MEC) para ouvir a proposta de reestruturação dos campi. Confira a nota emitida pelos reitores dos IFs do Rio Grande do Sul após a reunião com o MEC:

“Atendendo ao convite da Diretoria de Desenvolvimento da Rede Federal da Setec/MEC, os três Institutos Federais do Rio Grande do Sul, representados por seus reitores, participaram de reunião onde foram apresentados estudos preliminares acerca de proposta de reordenamento dos campi no Estado.

A proposta de possível reordenamento dos campi dos IFs tem como base critérios de natureza territorial e demográfica. A questão também é discutida em outros estados brasileiros. Na reunião, foram apresentados os estudos preliminares feitos pela Setec e solicitado que os três IFs gaúchos analisem o atual ordenamento e proponham, se assim entenderem, proposta de novo ordenamento.

O tema será discutido na reunião do Conselho Nacional da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica (Conif), que ocorrerá de amanhã até a quinta-feira (12), e nas comunidades acadêmicas dos três Institutos Federais do Rio Grande do Sul.

Os IFs do RS manifestam posicionamento contrário a qualquer proposta que permita a alteração da Lei n° 11.892/2008, considerando o atual contexto político e de ano eleitoral, o que pode colocar em risco os princípios estruturantes, os objetivos e finalidades dos Institutos Federais”.

Posicionamentos

Para o reitor eleito do IFRS, Júlio Xandro Heck, “na reunião de ontem a Setec apresentou alguns critérios que, no entendimento deles, devem ser levados em conta para discutirmos o tal reordenamento dos campi dos IFs no RS. Mas não nos entregaram absolutamente nada, nenhum documento ou arquivo para que pudéssemos socializar e discutir com as nossas comunidades. Tudo que tivemos foi uma rápida apresentação onde nos mostraram os tais ‘critérios’ e também ‘simulações’ de como poderiam ficar os campi após aplicação dos referidos critérios. Os critérios são: a) proximidade geográfica (mesorregião), densidade demográfica, distâncias das reitorias, relação população/matrículas, entre outros. Para alguns estados está sendo aventada a criação de mais institutos, mas para o RS isso não está em cogitação por parte da Setec.

Ou seja, não há concretude e objetividade nenhuma por hora! Simplesmente apresentaram um desejo da Setec de reordenar os campi do IFRS. E esta tem sido a reclamação geral de todos os reitores que participaram, tanto do RS quanto dos outros estados. Queremos apresentar para as nossas comunidades, queremos discutir, mas a partir de algo que exista de verdade e seja oficial. E aqui seremos veementes: não há proposta oficial! Assim, precisamos ser responsáveis nesta discussão e nos basearmos apenas em fatos.

Por fim – e o que mais nos preocupou – os interlocutores da Setec acenaram que este ‘ordenamento’ implica sim em mexer na lei de criação dos IFs (lei 11.892). Quanto a isso, entendemos que não seja oportuno, pois corremos riscos de desconstrução do nosso atual modelo de instituição. E nisso seremos intransigentes!”.

O vice-presidente da ADUFRGS-Sindical, Lúcio Vieira, expressa o apoio da entidade aos IFs. “A ADUFRGS acompanha atentamente os acontecimentos e manifesta preocupação. A Adufrgs concorda coma opinião dos reitores. Esse momento pelo qual o país passa exige bom senso e respeito democrático as decisões. A criação dos Institutos Federais foi feita por lei e qualquer mudança nas estruturas deve passar por intenso debate nas comunidades onde estão inseridos”.

Fonte: Ascom ADUFRGS-Sindical

Notícias Relacionadas

Agência Proifes

Menu