AGÊNCIA PROIFES

Nota de Repúdio à violência contra manifestantes pacíficos

Notícias PROIFES

Nota de Repúdio à violência contra manifestantes pacíficos

Nota de Repúdio à violência contra manifestantes pacíficos

O PROIFES-Federação repudia veementemente a agressão sofrida pelos manifestantes que participaram nesta terça-feira (29) da Caravana Ocupa Brasília. É inadmissível que estudantes, professores e trabalhadores, que formavam a maior parte do ato pacífico contra a aprovação da PEC 55, tenham sido agredidos pela Polícia Militar do Distrito Federal, com bombas, socos e prisões injustificáveis.

A truculência da repressão a um ato legítimo e constitucional de livre manifestação popular reflete a falta de diálogo do governo Temer, que tem a violência como vício de origem, e a repressão como prática. O PROIFES-Federação, presente ao ato, atesta o caráter pacífico deste, e manifesta solidariedade aos estudantes, professores e trabalhadores agredidos, feridos e aprisionados injustamente por uma polícia desnecessariamente violenta, que apresenta uma desmedida compulsão aos atos de agressão, e que deve ser responsabilizada, assim como o Governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, responsável pela segurança dos cidadãos que estavam na rua exercendo seu livre direito de se manifestarem.

A atitude da polícia foi totalmente desproporcional aos fatos, se existentes, de um pequeno grupo infiltrado que possa ter cometidos atos ilegais. Agredir com bombas jogadas de helicóptero, bombas de gás e spray de pimenta mais de 50 mil pessoas que estavam pacificamente se manifestando é um ato covarde que afronta a Constituição e os direitos civis dos brasileiros. Mesmo frente a estes atos da pior memória da República não recuaremos na denúncia do desmonte do Estado e do serviço público em curso, com a PEC 55 e as demais medidas de “ajuste fiscal”. Não sairemos das ruas e não nos intimidaremos!

A violência deste governo hoje será amanhã o combustível das lutas dos estudantes e professores por um Brasil que eduque sem agredir. Nenhum direito a menos!

PROIFES-Federação

 

Foto: Fabio Pozzebon/Agência Brasil

Notícias Relacionadas

Agência Proifes

Notícias Relacionadas

Agência Proifes

Menu