AGÊNCIA PROIFES

Nota de esclarecimento da diretoria da Apub Sindicato

Notícias PROIFES

Nota de esclarecimento da diretoria da Apub Sindicato

Diante de acontecimentos ocorridos nos últimos dias, no sentido de estabelecer desinformação e confusão entre os associados da APUB-Sindicato, a Diretoria da entidade vem prestar os seguintes esclarecimentos:

1)   Um pequeno grupo de professores em oposição à atual Diretoria, agindo à margem das instâncias formais da entidade e valendo-se de mentiras que, em vão tenta transformar em verdades, pela exaustiva repetição, tem provocado um clima de tumulto e desinformação entre os professores, sobre o qual vimos nos manifestar;

2)   A APUB Sindicato é filiada ao PROIFES Federação, entidade recente que congrega sete dos 10 principais sindicatos docentes do país que, neste momento, está negociando a carreira docente com o governo, juntamente com a ANDES e o SINASEFE. Vê-se, por isso, que a ANDES – Sindicato Nacional não é mais o único sindicato credenciado a negociar com o governo, em nome dos docentes do ensino superior e do ensino básico técnico e tecnológico (EBTT);

3)   Quanto à recente decisão do Supremo Tribunal de Justiça (STJ) sobre a qual a ANDES afirma ter sido vitoriosa, trata-se de questão marginal à discussão de representatividade sindical, no seio do ensino superior e do EBTT. De fato, o STJ simplesmente decidiu pela reafirmação de uma tese do ex-ministro do Trabalho e Emprego Carlos Lupi, que, em junho de 2009, restituiu o registro sindical da ANDES. A condição estabelecida pelo ministro fora que a ANDES deixasse de representar os docentes das instituições particulares de ensino superior, para ter a restituição de seu registro sindical, retirado por conta de uma ação impetrada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE). Ora, se a ANDES decidira, em Congresso da entidade, depois da concessão do ministro Lupi, que a entidade iria representar aqueles professores, independentemente do despacho em contrário do Ministro Lupi. Agora, o STJ volta a dizer que ela tem de cumprir o que está no despacho do Ministro, então a ANDES teve uma derrota, não uma vitória!

4)   Por outro lado, podemos livremente continuar a formar sindicatos locais de professores, por desmembramento, tal como aconteceu no Rio Grande Sul, com a criação da ADUFRGS Sindical, que teve o seu reconhecimento concedido diretamente pelo Ministério de Trabalho e Emprego. Mais sete grandes sindicatos locais, inclusive o nosso APUB, encaminharam seus processos, estando no aguardo somente da assinatura do ministro recém empossado;

5)   O PROIFES Federação tem hoje a representação de entidades de sete das 10 maiores universidades federais brasileiras. São os sindicatos autônomos da APUB, ADUFRGS, ADUFC, ADURN, ADFG, ADUFMS e ADUFScar. Também saíram da ANDES, embora não façam do PROIFES Federação, os sindicatos da UFMG e da UFSC;

6)   Tanto a APUB Sindicato como os outros sindicatos locais citados estão, portanto, em pleno exercício de sua representação sindical. Foi um processo iniciado com a criação do PROIFES Fórum em 2004, entidade que, ao contrário da ANDES, tem sempre estado em todas as mesas de negociação abertas pelo governo, debatendo, formulando, decidindo e assinando acordos em benefício da nossa categoria. Desde o acordo da criação do professor associado, em 2006, passando pelo acordo salarial de três anos 2008-2010, e o do ano passado, que veio dar na recente Medida Provisória editada anteontem. A propósito, independentemente da questão dos adicionais de periculosidade, o PROIFES, o SINASEFE e a ANDES, componentes atual mesa de negociação da carreira docente com o governo, todos três órgãos apoiaram tal medida provisória;

7)   Por fim, cabe esclarecer que o PROIFES Federação não indica greve para o dia 17/05/2012, pois está participando da mesa de negociação com o governo, cujo prazo de encerramento dos trabalhos é 31/05/2012. Nessas condições, a deflagração de uma greve neste momento poderia nos levar ao risco, sem grande dificuldade, da decretação da ilegalidade da greve pela justiça do trabalho, bastando para isso que o governo a ela se dirigisse, e a negociação seria interrompida. Continuaremos a acompanhar a evolução dos acontecimentos e, qualquer decisão será tomada nas instâncias apropriadas do Sindicato, no obedecimento estrito do Estatuto e em articulação com o PROIFES Federação.

A Diretoria

Notícias Relacionadas

Agência Proifes

Notícias Relacionadas

Agência Proifes

Menu