Notícias PROIFES

JP Online: Universidades federais não vão conseguir absorver corte orçamentário de 18,2%

As universidades federais não vão conseguir absorver um corte dessa magnitude”, afirma o reitor da Universidade Federal de Goiás (UFG) e presidente da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), professor Edward Madureira. A declaração é sobre a redução de 18,2% prevista pelo Projeto de Lei Orçamentária Anual do próximo ano.

Segundo o reitor, o corte pode atingir, inclusive, recursos de manutenção básica. “Contratos com fornecedores, serviços de segurança e limpeza, bem como despesas de energias, por exemplo, podem ficar comprometidos”, alerta. Edward, destaca, ainda, que as universidades já trabalham com orçamento reduzido.

A proposta, que ainda precisa passar pelo Congresso Nacional, foi feita pelo Ministério da Economia e confirmada pelo Ministério da Educação (MEC). Nesta semana, o Adufg-Sindicato lançou uma campanha contra o corte de orçamento proposto pelo Governo Federal. Em Goiás, somando as projeções das três universidades federais (UFG, UFCAT e UFJ), o prejuízo seria de R$ 21,6 milhões no próximo ano. Na comparação com o orçamento de 2020,a Universidade Federal de Goiás perderia R$ 16,5 milhões. Para a Universidade Federal de Jataí, o corte representaria R$ 2,7 milhões. A Universidade Federal de Catalão, por sua vez, sofreria um impacto de R$ 2,4 milhões.

Fonte: Ascom ADUFG-Sindicato

Notícias Relacionadas

Agência Proifes

Menu