Notícias PROIFES

Dia de mobiliação movimenta as Ifes na Bahia

Iniciadas ontem, com visita das diretoras Silvia Lúcia, Eloisa Pinto e Lina Aras às unidades da UFBA e do IFBA em Barreiras, as atividades da Apub Sindicato continuam nesta quarta-feira (25), como parte da programação do Dia Nacional de Mobilização dos Servidores Públicos Federais. A manhã foi de mobilização nos campi da Universidade Federal da Bahia e da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia.

O diretor João Augusto Rocha e a professora Elisabeth Bittencourt conversaram com docentes que ministravam aula no PAF 1, São Lázaro, Farmácia, Biologia, Química, Geociências, Matemática e Politécnica. Eles esclareceram que o dia é de mobilização, não de paralisação. Os professores ainda explicaram o porque de este não ser o momento para a greve. “Antigamente, a gente utilizava deste instrumento para pressionar o governo a abrir negociação. Hoje, como estamos à mesa em conversação com representantes dele, não podemos parar as atividades para não prejudicar a negociação”, afirma o diretor Acadêmico da Apub, professor João Augusto. Além disso, professora Elisabeth lembrou que logo mais às 16h tem assembleia geral para discutir e avaliar a mobilização e os rumos do movimento e destacou que a participação dos associados é fundamental neste momento.

Paralelamente, o diretor de Comunicação e Cultura, George Mariane, e o professor Israel Pinheiro se reuniram com docentes da UFRB, em Cruz das Almas, para falar sobre o andamento da negociação da reestruturação da carreira, o Projeto de Lei 2.203/2011, insalubridade e periculosidade, entre outras questões de interesse da categoria. Os professores da UFRB ressaltaram a necessidade da presença da Apub na universidade do Recôncavo, bem como um suporte que garanta a discussão político-ideológica das ações sindicais. O plenário também se comprometeu a articular a base da APUB em Cruz das Almas, para retirar outro representante no campus, a fim de estreitar as relações entre as partes.

Após a mobilização nas unidades, a diretoria da Apub Sindicato e a base se reuniram em assembleia, na sede da entidade, para avaliar o movimento. Professora Silvia Lúcia, a presidenta, abriu a assembleia atualizando os professores sobre a rodada de negociação do GT de reestruturação da carreira, que ocorria paralelamente ao Dia Nacional de Mobilização dos Servidores Públicos Federais.

Depois, os diretores que visitaram o ICADS e IFBA, em Barreiras, e UFRB, em Cruz das Almas, fizeram um breve relato das discussões com os docentes no interior. Assim como os de Vitória da Conquista, os professores se manifestaram em favor da presença da Apub nas unidades. Quem passou pelos campi da Universidade Federal da Bahia, em Salvador, também apontou as dificuldades, confusões e o apoio recebido dos professores e professoras. “Foi preciso esclarecer sobre a diferença proposta pela Apub e pela oposição, que divulgou material com a marca do Sindicato, confundindo os colegas”, disse professora Elisabeth Bittencourt.

Em seguida, os presentes fizeram uma avaliação do Dia de Luta. Para a diretoria e apoiadores, o saldo foi positivo e o movimento foi consonante com as outras entidades filiadas ao Proifes Federação. A oposição defendeu que era preciso ter marcado a data com paralisação, assim como ocorreu na Faculdade de Educação. Mas, a Apub mantém firme a posição de não fazer indicativo de greve. Inclusive, a proposta de fazer paralisação nos dias 9 e 10 de maio, junto com os servidores técnicos administrativos, foi rejeitada pela assembleia.

Ainda na assembleia realizada nesta quarta-feira (25), na sede do Sindicato, como parte da programação do Dia Nacional de Mobilização, o Conselho de Representantes da Apub foi empossado. De acordo com deliberação, as unidades que ainda não indicaram o docente para compor o conselho pode ainda fazê-lo.

Outro item da pauta da assembleia foi a eleição dos delegados para os congressos Estadual e Nacional da Central Única dos Trabalhadores, CECUT e CONCUT. A etapa Bahia, acontece em Salvador, entre os dias 31 de maio a 2 de junho. A nacional ocorre no mês seguinte, de 9 a 13, em São Paulo.

Foram eleitos os professores e professoras, por ordem de número de votos recebidos, Celi Taffarel, Israel Pinheiro e Lina Aras, como titulares, Elisabeth Bittencourt, Nair Casagrande e Cláudio Lira, como suplentes.

Notícias Relacionadas

Agência Proifes

Menu