Notícias PROIFES

Continua discussão nos Sindicatos Federados a respeito da deflagração de greve nacional

O Conselho Deliberativo (CD) do PROIFES-Federação decidiu nos dias 18 e 19 de junho indicar aos sindicatos federados a deflagração de greve nacional, como resposta ao silêncio do governo e ao fato de não ter sido, até aquele momento, marcada nenhuma reunião para dar continuidade às negociações com os docentes federais.

O PROIFES é uma Federação plural e entende que a diversidade de opiniões é o princípio mais importante dentro da construção democrática do Novo Movimento Docente. Desta forma, todas as deliberações do CD devem ser debatidas e encaminhadas em nível local de acordo com a realidade própria e deliberadas da forma legitimamente construída em cada sindicato. A postura da Federação será sempre a de respeitar e apoiar cada um de seus sindicatos federados em seus processos de mobilização, independentemente de seguirem ou não a decisão do CD, mas de forma a que todos os sindicatos continuem sempre compondo a articulação nacional e integrando a Coordenação Nacional de Mobilização que será instalada formalmente no dia 30/06.

Estão em greve a APUB-Sindicato – que representa estadualmente os docentes das Universidades e Instituto Federais da Bahia (desde o dia 28/05); a ADUFMS-Sindical – dos docentes das Universidades Federais do Mato Grosso do Sul (desde 15/06) e o SIND-UFMA, sindicato estadual dos docentes federais do Maranhão que iniciará a greve em 01/07.

Em assembleias gerais realizadas presencialmente esta semana, em Goiânia e Curitiba, respectivamente, os docentes das Universidades de Goiás, representados pela ADUFG-Sindicato decidiram iniciar a greve em 01/08, enquanto os servidores da Educação Básica e Profissional do Paraná, representados pelo SINDIEDUTEC, farão greve no começo do segundo semestre. Tais deliberações tiveram como entendimento a necessidade de marcar a data do início da greve, mas que isso deve ocorrer na volta dos professores após o período de recesso escolar, não iniciando o segundo semestre.

Já os docentes filiados à ADUFSCar,Sindicato realizaram plebiscito com a participação de 584 professores que decidiram não entrar em greve, sendo  voto majoritário de 370 docentes contrários à greve e 191 favoráveis. Assim, a entidade reforçará encaminhamentos e ações políticas relativas à Campanha Salarial 2015.

Os docentes representados pela ADUFRGS-Sindical decidirão em Consulta Eletrônica, entre os dias 29/06 e 03/07 sua posição em relação à deflagração de greve, indicada em assembleia geral no dia 16/06. Os demais sindicatos da Federação estão todos empenhados nesse processo de mobilização nacional, mas ainda não deliberaram em seus fóruns locais sobre o indicativo de deflagração de greve do Conselho Deliberativo da Federação.

O PROIFES espera que após a reunião desta tarde no MPOG, onde o governo anunciou que apresentará contraproposta, o processo de negociação seja retomado e que seja convocada imediatamente a Mesa de Negociação dos docentes, pois a pauta dos professores federais inclui vários itens, salariais e não salariais, que precisam ser negociados.

Notícias Relacionadas

Agência Proifes

Menu