AGÊNCIA PROIFES

CONAE 2014 é lançada na Comissão de Educação da Câmara dos Deputados

Notícias PROIFES

CONAE 2014 é lançada na Comissão de Educação da Câmara dos Deputados

Foi lançada na tarde desta quarta-feira, 10 de abril, na Comissão de Educação da Câmara dos Deputados, a CONAE 2014, II Conferência Nacional de Educação. No evento, que contou com a presença do Ministro Aloizio Mercadante, foi distribuído o Documento Referência produzido pelo Fórum Nacional de Educação (FNE), que visa subsidiar as discussões estaduais e municipais. O PROIFES-Federação, representado pelo diretor Gil Vicente Reis de Figueiredo, esteve presente em todas as agendas do Fórum, na apresentação do Ministro e no Lançamento da CONAE na Câmara.

O FNE propôs sete eixos temáticos centrais:

I – O Plano Nacional de Educação e o Sistema Nacional de Educação: organização e regulação

II – Educação e Diversidade: justiça social, inclusão e direitos humanos.

III – Educação, Trabalho e Desenvolvimento Sustentável: cultura, ciência, tecnologia, saúde, meio ambiente.

IV – Qualidade da Educação: democratização do acesso, permanência, avaliação, condições de participação e aprendizagem.

V – Gestão Democrática, Participação Popular e Controle Social.

VI – Valorização dos Profissionais da Educação: formação, remuneração, carreira e condições de trabalho.

VII – Financiamento da Educação: gestão, transparência e controle social dos recursos.

O Fórum esteve reunido na capital federal nestas terça e quarta-feira e espera que essas indicações contribuam para o planejamento e organização das políticas, especialmente para a elaboração, acompanhamento e avaliação dos planos de educação pelos entes federados. O PROIFES-Federação, único representante das Instituições Federais de Ensino Superior integra os debates da II CONAE, que acontecerá em fevereiro do próximo ano, em Brasília.

 

Royalties do Petróleo

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, reiterou o apelo aos deputados no sentido de votar pela vinculação integral dos royalties do petróleo à educação.  “Independentemente de como vai ser a repartição entre estados produtores e não produtores, todos os  recursos dos royalties devem ir para a educação”, afirmou. “É evidente que há outras áreas prioritárias, mas não podemos colocar os recursos dos royalties no custeio da máquina pública.”

De acordo com o ministro, o país deve ter recursos para viabilizar o Plano Nacional de Educação (PNE). “Os royalties são o melhor passaporte para o futuro porque preparam o Brasil para a sociedade do conhecimento”, salientou. “É um imenso desafio, que tem de ser republicano e suprapartidário, como temos feito com os secretários de educação de todos os estados.”

Confira a apresentação do ministro Aloizio Mercadante na Comissão de Educação da Câmara dos Deputados.

Com informações da Assessoria de Comunicação Social do MEC

Notícias Relacionadas

Agência Proifes

Notícias Relacionadas

Agência Proifes

Menu