AGÊNCIA PROIFES

“Com EC 95 não há como planejar futuro”, diz PROIFES na Frente Parlamentar pela Valorização das Universidades Federais

Notícias PROIFES

“Com EC 95 não há como planejar futuro”, diz PROIFES na Frente Parlamentar pela Valorização das Universidades Federais

O PROIFES-Federação participou nesta quarta-feira, 24, do lançamento da Frente Parlamentar pela Valorização das Universidades Federais, na Câmara dos Deputados, em Brasília. Presidida pela deputada federal Margarida Salomão (PT-MG), a Frente é suprapartidária, e contou com a participação de mais de 75 deputados e deputadas e 5 senadores em seu lançamento, além de movimentos estudantis, entidades científicas, de pesquisa, representantes dos reitores, dos técnicos administrativos das universidades, além dos sindicatos e associações de docentes.

“Estamos vivendo apenas o terceiro ano desse desfinanciamento das políticas públicas representado pela Emenda à Constituição (EC) 95, e sem recursos financeiros não há como pensar em estruturação de políticas públicas para os próximos anos. A Emenda ainda tem praticamente duas décadas de vigência, e a realidade que percebemos em todas as universidades é a mesma: a cada ano fiscal há a diminuição dos recursos”, afirmou em sua fala o secretário do PROIFES-Federação, Oswaldo Negrão (ADURN-Sindicato), que dividiu a mesa do evento com representantes da UNE, ANPG, Fasubra e Observatório do Conhecimento, além dos deputados Túlio Gadelha (PDT-PE), Edmilson Rodrigues (PSOL-PA), Vitor Lippi (PSDB-SP) e Alice Portugal (PcdoB – BA). Pelo PROIFES-Federação estiveram presentes também os professores Ruy Alkimim Rocha Filho (ADURN-Sindicato),  Luis Antonio Contim, Ana Kratz e Abraão Gomes, do ADUFG-Sindicato, e Remi Castione (UNB).

A necessidade de planejamento de ações, de do futuro das universidades, estudantes e do país, também foi ressaltada por Negrão: “”Precisamos pensar estratégias de valorização das universidades públicas e gratuitas e dos estudantes, para que eles possam ter uma estrutura de trabalho com qualidade. Hoje 66% dos estudantes das federais são de famílias de baixa renda”, afirmou o secretário do PROIFES, acrescentando que “a pesquisa e extensão são necessárias para a permanência dos estudantes no ambiente acadêmico, especialmente das mulheres, que respondem por 75% das publicações no país. Precisamos pensar e planejar qual Brasil queremos para o futuro”, concluiu Negrão.

A deputada Margarida Salomão ressaltou que um dos objetivos da Frente é adensar no parlamento a defesa deste patrimônio nacional que são as universidades públicas federais brasileiras. “É necessário expressar para o parlamento brasileiro a preciosidade que é o sistema público federal. Neste momento esta é uma luta urgente, em um estado de guerra declarada à inteligência, à ciência e à universidade. Buscamos destravar o diálogo com o governo, superar o estrangulamento financeiro, e defendera a liberdade de ensino”, salientou a deputada.

Esta liberdade para ensinar foi também destacada por Edeson Siqueira, da ADUFEPE, ressaltando o papel do Observatório do Conhecimento “em acompanhar e denunciar qualquer censura ideológica à liberdade de cátedra, e comunicar à sociedade civil a importância das universidades na formação do capital humano”.

Ação no Congresso       

Os representantes do PROIFES-Federação também deram continuidade nesta quarta-feira às ações com deputados de diferentes partidos no sentido de ampliar a conscientização sobre a necessidade de rejeição pelo parlamento da Proposta de Emenda à Constituição 6 de 2019, mais conhecida como Reforma da Previdência, aprovada nesta terça-feira, 23, na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara.

Negrão e Ruy Alkimim conversaram com o deputado federal Rafael Motta (PSB-RN), que se manifestou contrário à aprovação da Reforma, e destacou que a ação dos movimentos e da pressão sobre deputados tem dificultado o andamento da PEC, que ainda deve passar por comissão especial e duas votações no plenário da Câmara.

Em seguida, os representantes do PROIFES participaram de reunião da liderança da minoria da Câmara com entidades sindicais e movimentos sociais.

Notícias Relacionadas

Agência Proifes

Notícias Relacionadas

Agência Proifes

Menu