Notícias PROIFES

Chamada à Ação, urgente: condenação do assassinato da professora paquistanesa Shahnaz Nazli

Documento em PDF: Chamamento à Ação – assassinato de professora paquistanesa

O PROIFES-Federação recebeu no dia 28 de março a mensagem abaixo da Internacional de Educação, à qual a entidade é filiada.

Trata-se de uma denúncia do assassinato de uma professora paquistanesa que dava aulas em uma escola de meninas e de uma exortação à ação política no sentido de impedir que fatos como esse se repitam.

O PROIFES, que defende uma educação universal e de qualidade para todos, assinou a petição abaixo traduzida, dirigida ao Presidente do Paquistão, pedindo que ponha fim aos crimes e à violência que visam impedir, em seu País, que seja assegurado o direito de todas as meninas de ir à escola e aprender sem medo.

Assim, através deste documento, nos dirigimos aos nossos sindicatos filiados, aos professores federais e à sociedade brasileira em geral, no sentido de que envidem o máximo de esforços para endossar vigorosamente os termos e o apelo contido na mensagem da Internacional de Educação.

A Diretoria do PROIFES, 01 de abril de 2013.

 

ANEXO

Mensagem recebida da Internacional de Educação

 

Estimados/as companheiros/as,

A Internacional de Educação (IE) insta suas organizações membro a condenar o assassinato de Shahnaz Nazli, uma professora paquistanesa, por ensinar a meninas.

A IE o convida a assinar a petição do Enviado Especial das Nações Unidas para a Educação Global, Gordon Brown, em http://educationenvoy.org/. Tradução da petição: “Lamentamos o assassinato de Shahnaz Nazli, uma professora valente morta a tiros por querer assegurar às meninas o direito de ir à escola.

Fazemos um apelo ao Presidente e ao Governo do Paquistão para que ponha fim aos assassinatos e à violência que impedem a educação das meninas e para que assegure que todas possam ir à escola e aprender sem medo.

Fazemos um apelo para que se proteja todos(as) os(as) docentes que lutam para que todas as meninas possam desfrutar do direito básico à educação.”

Shahnaz Nazli, uma professora de 41 anos de uma escola para meninas próxima à cidade de Jamrud em Peshawar, Paquistão, foi assassinada no dia 26 de março, enquanto se dirigia à escola.

Vários homens armados abriram fogo contra Nazli, quando se encontrava a 200 metros da escola. O diretor da escola a levou ao hospital local, mas Shahnaz morreu três horas depois, em consequência dos ferimentos a bala.

A IE e suas organizações filiadas oferecem condolências aos familiares e colegas da professora Nazli e se comprometem a fazer todo o possível para garantir que sua morte não fique impune, pressionando ao mesmo tempo as autoridades paquistaneses para que garantam a segurança dos docentes e de seu alunado no caminho de ida e volta a suas escolas, bem como no interior destas.

Por outro lado, a Declaração da IE no sentido de que “As escolas devem ser santuários seguros” tem como objetivos instar a comunidade internacional a atuar para impedir que se vulnere o direito à educação, garantir a segurança e a proteção de estudantes, mestres e trabalhadores em educação em todo o mundo e, por último, fortalecer o direito internacional, pondo um fim à impunidade.

O assassinato da professora Shahnaz Nazli expõe, mais uma vez, os riscos que os(as) professores(as) enfrentam a cada dia em ambientes adversos. Deve existir tolerância zero à violência contra docentes em geral e, em particular, contra professoras e alunas.

A IE e suas organizações filiadas não descansarão até que o Governo do Paquistão e as Autoridades escutem e respondam a este apelo, já que é sua responsabilidade garantir a segurança do professorado e de seus estudantes.

Carece de sentido pensar em qualquer tipo de desenvolvimento ou progresso em qualquer lugar do mundo se as pessoas que dedicam sua vida profissional a cultivar a mente de nossas crianças não são capazes de exercer seu trabalho em um ambiente seguro.

A morte de Shahnaz Nazli e o atentado contra a vida de Malala Yousafzai nos mostram que chegamos a uma encruzilhada no que diz respeito à luta entre os que negam às nossas filhas o direito humano à educação e os que desejam proteger esse direito a todo custo.

É hora de que as autoridades paquistanesas deem ao mundo um bom exemplo e hajam corretamente: o futuro de suas filhas, de seus País e de todo o mundo depende disso.

A Internacional de Educação e suas organizações filiadas apoiam plenamente a iniciativa do Enviado Especial das Nações Unidas para a Educação Mundial, Gordon Brown, no que respeita a esta ação e à promoção dos direitos das meninas à educação (essa declaração, a respeito do assassinato de Shahnaz Nazli, pode ser lida em http://educationenvoy.org/press).

 

A IE agradece sua solidariedade.

Sinceramente,

Fred van Leeuwen,

Secretário Geral da Internacional de Educação.

Head Office, 5 bd du Roi Albert II, 1210, Bruxelas, Bélgica.

Notícias Relacionadas

Agência Proifes

Menu