Notícias PROIFES

CD do PROIFES aprova intensificação das lutas contra reformas e fortalecimento de articulações com movimentos sociais

Reunido em Brasília (DF) nesta sexta-feira, 2, e sábado, 3, o Conselho Deliberativo (CD) do PROIFES-Federação aprovou a intensificação das mobilizações contra as propostas de reformas Trabalhista e da Previdência, a manutenção de uma representação da Federação na Frente Brasil Popular (FBP) e fortalecimento das articulações de ações com a FBP e as Centrais Sindicais.

A reunião contou a presença de mais de trinta representantes de todos os sindicatos federados ao PROIFES, além de representantes de três sindicatos convidados: da Associação dos Docentes da Universidade Federal de Pernambuco (ADUFEPE), do Sindicato dos Professores de Universidades Federais de Belo Horizonte, Montes Claros e Ouro Branco (Apubh), e do Sindicato das Universidades Federais de Santa Catarina (APUFSC-Sindical), e foi coordenada pelo vice-presidente do PROIFES, professor Flávio Alves da Silva (ADUFG-Sindicato).

Na pauta, informes dos sindicatos federados sobre a conjuntura regional, escolha do professor a ser homenageado no XIII Encontro Nacional do PROIFES-Federação, que será realizado de 26 a 29 de julho em Porto Alegre (RS); avaliação das votações no Congresso Nacional das reformas previdenciária e trabalhista; elaboração de seminários sobre Privatização da Educação, e sobre Concepção das IFES; encaminhamentos do Grupo de Trabalho Direitos Humanos, Raça/Etnicidade, Gênero e Sexualidades; discussões sobre o Fórum Nacional de Educação, e encaminhamentos gerais.

Dentre os principais encaminhamentos dados pelo CD, em relação à campanha salarial estão:

– Reiterar a disposição do PROIFES enviando novamente ofícios ao Ministério da Educação solicitando audiência para discutir Campanha salarial 2018;

– Fazer um levantamento demonstrando historicamente as tentativas da federação em manter o diálogo com o governo e informar a categoria.

– Tentar abrir canal de diálogo junto ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão;

Em relação à exclusão do PROIFES e diversas entidades do campo educacional do Fórum Nacional de Educação (FNE), o CD encaminhou:

– Reafirmar a posição de continuar na luta com demais entidades para que o governo revogue sua posição de excluir as entidades do FNE;

– Caso o governo mantenha posição, que o PROIFES acompanhe a decisão das entidades parceira e participe da CONAP.

Foi definida também a realização de um seminário sobre a concepção das Instituições Federais de Ensino Superior (IFES), a ser sediado em Recife (PE) nos dias 24 e 25 de agosto.

Em relação ao Grupo de Trabalho do PROIFES Direitos Humanos: Raça/Etnicidade, Gênero e Sexualidades, houve encaminhamentos no sentido de:

– Foi sugerido que cada sindicato se organize até 31/06 para fundar um GT com mesmo nome em suas respectivas localidades;

– Realizar o I Encontro Nacional do PROIFES sobre Direitos Humanos: Raça/Etnicidade, gênero e sexualidade, no período 29 de novembro a 01 de dezembro na Universidade Federal da Bahia, tendo como tema Professores negros e professoras negras das IFES.

– Foi sugerida a realização de pré-encontros, preferencialmente em setembro, formados por palestrantes locais.

– Público alvo são os docentes. Cada sindicato banca os participantes que enviar.

O CD aprovou também a realização da próxima reunião do GT Multicampi do PROIFES no Maranhão, com o planejamento de um seminário no mesmo local sobre o tema do GT.

Foi aprovada ainda a publicação de uma moção pela liberdade de Milagro Sala e dos presos políticos na Argentina.

Durante a reunião do CD também foi debatida a situação financeira das Universidades e Instituições Federais de Ensino Superior (IFES) com o secretário executivo da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), Gustavo Balduino, e com o diretor administrativo do Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif), Wilson Conciani.

A possibilidade de interrupção do processo de expansão das universidades e das IFES, iniciado na última década, e as dificuldades de custeio e manutenção das atividades das instituições, em especial frente às restrições impostas pela Emenda Constitucional (EC) 95 (antiga PEC 55), foram as tônica das explanações e debates desta tarde.

Notícias Relacionadas

Agência Proifes

Menu