AGÊNCIA PROIFES

Aposentadoria da 4ª geração de servidores federais pode ficar abaixo do teto do RGPS, se PEC 287 for aprovada

Notícias PROIFES

Aposentadoria da 4ª geração de servidores federais pode ficar abaixo do teto do RGPS, se PEC 287 for aprovada

A aposentadoria dos servidores federais que ingressaram a partir de 4 de fevereiro de 2013, a chamada 4ª geração, pode ser ainda menor do que o teto do Regime Geral da Previdência Social (RGPS) – hoje em R$ 5.531,31- caso a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287 de 2016, mais conhecida por Reforma da Previdência, seja aprovada. O alerta foi dado pelo diretor de Assuntos de Aposentadoria e Previdência da ADUFRGS-Sindical, Jairo Alfredo Genz Bolter, em palestra no Instituto de Física da UFRGS, no dia 6 de abril.

 

Segundo ele, só quem trabalhar os 49 anos previstos no texto da Reforma terá direito ao teto ao se aposentar. Isso porque o cálculo da aposentadoria prevê a soma de 51% do teto, mais 1% por cada ano de contribuição. Assim, para alcançar 100%, o professor precisa trabalhar no mínimo 49 anos. Como muitos ingressam mais tarde na carreira, possivelmente chegarão aos 75 anos (quando são obrigados a se aposentar) com menos de 49 anos de contribuição.

Essa é apenas uma das muitas facetas perversas da PEC 287 (Reforma da Previdência). Outras, que vêm sendo abordadas nas palestras que a ADUFRGS-Sindical e o PROIFES-Federação têm ministrado, apontam os grandes prejuízos às mulheres, que terão a idade mínima para aposentadoria igualada aos homens (65 anos), quando a realidade brasileira ainda produz desigualdades entre os sexos, especialmente se tratando da dupla jornada de trabalho; aos professores da educação básica, que terão de trabalhar mais tempo com o fim da aposentadoria especial; àqueles que adoecerem gravemente, que serão aposentados com os proventos parciais, exceto em caso de acidente de trabalho; e aos que perderem seus cônjuges, que receberão como pensão apenas 60% mais 10% por cada dependente, diminuindo na medida em que os dependentes completam 18 anos.

 

Outro aspecto injusto da Reforma que tem sido destacado pelos dirigentes da ADUFRGS-Sindical é a idade mínima para aposentadoria ser única para todo o território nacional, quando a expectativa de vida é bastante variável de acordo com a região do País e com a atividade exercida. Jairo Bolter definiu a Reforma da Previdência como a “destruição da previdência pública”, e acredita que tudo está sendo feito com a intenção de entregar essa fatia do mercado para a iniciativa privada, reduzindo cada vez mais o compromisso do Estado com o bem-estar social.

 

O diretor detalhou alguns aspectos da Reforma com exemplos, respondeu perguntas e esclareceu dúvidas de professores. A diretoria da ADUFRGS-Sindical informa que está disponível para ir às unidades e às instituições que compõem a base para explicar a Reforma da Previdência e reforça a fundamental importância dos membros do Conselho de Representantes nessa luta.

 

Campanha acirrada

 

Por acreditar que a Reforma da Previdência, da forma como está sendo proposta, atinge negativamente todos os trabalhadores, especialmente os servidores públicos (que vêm perdendo gradativamente os direitos adquiridos), a ADUFRGS-Sindical deflagrou uma campanha acirrada contra a PEC 287, através de spots veiculados em rádio de grande audiência; anúncios em jornais impressos e virtuais; outdoors; busdoors; publicações periódicas e redes sociais. Também foram produzidos vídeos, disponíveis no site do Sindicato, que explicam de forma didática vários aspectos da Reforma. Esse material pode ser baixado e compartilhado.

 

Conforme deliberação de Assembleia Geral, foi criado um abaixo-assinado, com os “10 pontos inaceitáveis da Reforma da Previdência” (Carta do PROIFES-Federação aos Parlamentares), que será entregue em mãos aos parlamentares. Além disso, o Sindicato orienta os professores a enviar este mesmo documento aos deputados e senadores da bancada gaúcha no Congresso Nacional, e aos deputados encarregados de analisar a PEC 287, como forma de pressão; e conclama todos a irem para as ruas nas manifestações para barrar essa Reforma.

 

Compartilhe os Vídeos Reforma da Previdência

 

Acesse aqui o abaixo-assinado contra a Reforma da Previdência.

 

“Os 10 pontos inaceitáveis da Reforma da Previdência”

 

Contatos Parlamentares do RS

 

Comissão Especial – Reforma da Previdência

 

Fonte: Assessoria de Comunicação da ADUFRGS-Sindical

 

Notícias Relacionadas

Agência Proifes

Notícias Relacionadas

Agência Proifes

Menu