Notícias PROIFES

ADURN: O ato docente na era da reprodutibilidade técnica em debate nesta quinta-feira (10)

Frente às implicações no campo da educação trazidas pelo processo de transformações sociais ocasionado pela pandemia de Covid-19, nesta quinta-feira (10) o curso de Psicologia da Faculdade de Ciências da Saúde do Trairí (Facisa/UFRN) realiza, com o apoio do ADURN-Sindicato, a conversa pública “O ato docente na era da reprodutibilidade técnica”. O debate acontece de forma remota, com início às 14h, no canal do Youtube do ADURN-Sindicato.

Participam da conversa o professor de Filosofia da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Denilson Cordeiro, o filósofo e professor aposentado do Departamento de Filosofia da Universidade São Paulo (USP), Paulo Arantes, e o psicanalista e professor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Sérgio Prudente.

Para o diretor do ADURN-Sindicato, Alex Alverga, “será uma importante contribuição para tratar de preocupações com o momento atual em que os efeitos de nossa trágica e ineficiente maneira de enfrentar a pandemia vem tensionando uma significativa transformação do fazer docente, abrindo caminho para processos de aprofundamento da precarização, desigualdade de acesso, rebaixamento da qualidade e muitas outras consequências que nem sempre comparecem ao debate em virtude de uma espécie de adesão acrítica ao processo de ensino-aprendizagem mediado por tecnologias”, disse.

Sobre os participantes, Alex ainda ressaltou que serão três gerações de professores com diferentes inserções na temática, “um debate muito qualificado que contará com a participação do renomado professor Paulo Arantes e as pessoas interessadas poderão interagir com os convidados enviando comentários e questionamentos”, concluiu.

Sobre os participantes

Denilson Cordeiro é doutor em Filosofia pela Universidade de São Paulo e pós-doutorado pela Universidad de Buenos Aires. É professor de Filosofia da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Campus Diadema e atua em estudos e pesquisas nas áreas de: literatura e filosofia, cultura e crítica, educação e formação do discernimento. Foi jurado do Prêmio São Paulo de Literatura – Edição de 2018 e organizou o livro “Arte da Aula”, que foi publicado pela Edições Sesc São Paulo.

Paulo Arantes é filósofo, professor aposentado do Departamento de Filosofia da Universidade São Paulo (USP), onde lecionou entre 1968 e 1998, tendo atuado como coordenador do Programa de Pós-Graduação (1984-1988) e editor da revista “Discurso” (1976-1991). Publicou, entre outros, “Hegel: a ordem do tempo” (1981), “Ressentimento da Dialética” (1996) e “Zero à Esquerda” (2004). Coordena a coleção Estado de Sítio, da Boitempo.

Sérgio Eduardo de Lima Prudente é psicanalista, pós-doutor em psicologia clínica IP-USP. Professor adjunto da UFRN, Campus Santa Cruz e membro do laboratório Psicanálise, Sociedade e Política-PSOPOL/IP-USP.

Fonte: Ascom ADURN-Sindicato

Notícias Relacionadas

Agência Proifes

Menu