Notícias PROIFES

ADUFG sedia reunião do Fórum Goiano contra a Reforma da Previdência e Trabalhista

A ADUFG-Sindicato será palco da próxima reunião do Fórum Goiano contra a Reforma da Previdência e Trabalhista, que acontece na próxima quarta-feira (5/4), às 9h da manhã. A reunião ocorre na Sede Administrativa do Sindicato, no Setor Leste Vila Nova, e terá como pauta principal a preparação para o dia nacional de paralisação contra as Reformas Trabalhista e da Previdência, no dia 28 de abril (sexta-feira).

O Fórum Goiano contra Reforma da Previdência e Trabalhista reúne 21 entidades sindicais, estudantis e movimentos sociais do campo e da cidade, entre elas a ADUFG. Ele é um coletivo participativo que tem como intuito fortalecer a mobilização popular, não apenas contra a Reforma da Previdência (PEC 287) e a Trabalhista, mas também contra as outras medidas do governo Temer que retiram direitos do povo brasileiro.

O dirigente do Fórum, João Pires, do Sintifesgo, analisou a importância da existência da entidade e das reuniões, que ocorrem de maneira rotativa nas sedes dos sindicatos e movimentos que o constroem. “Por meio do Fórum Goiano as centrais sindicais e demais entidades que o compõem conseguem unificar as ações contra essas reformas que o governo está apresentando. As manifestações no dia 8, 15 e 31 de março, por exemplo, ocorreram não só em Goiânia, mas também em cidades do interior como Iporá e Jataí”.

O presidente da CUT-Goiás, Mauro Rubem, analisou o papel que os sindicatos e as centrais sindicais cumprem na atual conjuntura nacional, articuladas por meio do Fórum. “As centrais sindicais e movimentos populares vão se reunir para organizar a paralisação geral do dia 28 de abril. É a principal tarefa que esses setores têm para fazer no Brasil diante da conjuntura que tem aqui. Por isso estamos organizando ações para defender o trabalho e a previdência social, coisas que têm uma dimensão muito grande. O momento é gravíssimo e reuniões como essa são mais importantes que reuniões no Congresso.”

Movimento Estudantil

Além de entidades representantes da classe trabalhadora, o movimento estudantil também participa ativamente da construção do Fórum. Fábio Júnior, do Diretório Central dos Estudantes da UFG (DCE-UFG), diz que é necessário a participação do movimento estudantil organizado na entidade. “O DCE participa do Fórum porque a pauta afeta toda a sociedade e vai atingir diretamente os estudantes. A gente tem a expectativa de fazer uma graduação, se formar, trabalhar e descansar no futuro. Agora vamos trabalhar praticamente até a morte”, analisa o estudante de Economia.

Pautas

Avaliação do Ato do dia 31 de março;

Tenda da Praça do Bandeirante;

Audiência Pública na Câmara Municipal de Goiânia;

Greve Geral dia 28;

Outros assuntos.

Data: 05/04 (quarta-feira)

Horário: 9h da manhã

Fonte: Ascom ADUFG-Sindicato

Foto: Ascom ADUFG-Sindicato

 

Notícias Relacionadas

Agência Proifes

Menu