Notícias PROIFES

Adufg inaugura nova sede que vai fortalecer a luta em defesa dos docentes e do ensino público

“Vivemos um momento histórico na história do Adufg-Sindicato. É com muita satisfação que recebemos nossos professores e amigos para apresentar um espaço que representa nossa luta e resistência em 43 anos de defesa da categoria e da educação pública, gratuita e de qualidade”, afirmou o presidente do Sindicato dos Docentes das Universidades Federais de Goiás (Adfug-Sindicato), professor Flávio Alves da Silva, na solenidade de inauguração da nova sede da entidade. O evento, realizado na noite desta terça-feira (07/06), reuniu docentes, servidores públicos e autoridades políticas. Na ocasião também foi realizado o lançamento oficial do livro “O Sindicato Adufg: 40 anos de história e resistência”, dos autores Juarez Ferraz de Maia e Kalyne Menezes. O coral Vozes do Adufg e o cantor Xexéu ficaram por conta das apresentações culturais da noite.

A nova sede administrativa do Adufg-Sindicato possui 3,5 mil metros de área construída, contando com auditório com capacidade para 180 pessoas, sala de leitura e multiuso, espaço para eventos, foyer, departamentos amplos para melhor atendimento dos filiados e seus dependentes, jardim, redário e muito mais. “Nesses últimos anos vivemos tempos de ataque aos serviços públicos e à educação. Lutamos contra as reformas da previdência, administrativa e os cortes nas universidades e ciência. Hoje, entregando essa nova sede, mostramos que o movimento sindical continua vivo e atuante”, completou o presidente do Adufg-Sindicato.

Representando o prefeito de Goiânia, Rogério Cruz, o vereador Anselmo Pereira (MDB), que é diretor de Relações Institucionais da Associação de Egressos da UFG, enalteceu o trabalho realizado pela diretoria do sindicato. “O sindicalismo sobrevive, capaz, independente. Seja qual for a força que vier contrária, quando se unem todos é possível realizar o que foi feito aqui no Adufg. Como vereador da região do Setor Universitário e Vila Nova, agradeço à diretoria desse sindicato por este prédio que também vai valorizar a nossa região. E, por fim, parabenizo à gestão pela competência de ser realizar uma obra desse porte gastando três vezes menos do que seria gasto pelo poder público”, reforçou o vereador.

O pró-reitor de Graduação da Universidade Federal de Catalão, Moises Fernandes Lemos, representou a reitora da instituição Roselma Lucchese durante o evento. O docente avaliou o papel do Adufg-Sindicato como de extrema importância para o crescimento das universidades goianas. “As críticas que a gestão da universidade recebe são fundamentais para o aprimoramento da sua atuação. Nesse sentindo eu agradeço as críticas que recebemos da diretoria do Adufg-Sindicato no sentido de melhorar a UFCAT. Nesses quatro anos que estamos na gestão, a nossa relação sempre foi de muito respeito e cordialidade. O sindicato sempre contribuiu muito com a nossa instituição, defendendo os direitos dos servidores. Eu desejo sucesso nessa nova empreitada, e que esse ano seja marcado pelo debate e busca de um País mais justo”, disse o docente em seu momento de fala.

Livro memorial
Durante a solenidade de inauguração da nova sede administrativa do Adufg-Sindicato, também foi realizado o lançamento do livro que conta a história de 40 anos da instituição. Dos autores Juarez Ferraz de Maia, docente da Faculdade de Informação e Comunicação da UFG (FIC/UFG) e Kalyne Menezes, jornalista doutoranda e mestra em comunicação, a obra relata o período de lutas da entidade entre os anos de 1978 e 2018.

“É uma satisfação enorme estarmos aqui hoje inaugurando esse edifício monumental e ao mesmo tempo o lançamento do livro O Sindicato Adufg: 40 anos de história e resistência. Esse livro é diferente das demais obras biográficas porque nós utilizamos uma outra metodologia. A narrativa é feita pelos próprios diretores que passaram pelo Sindicato, não há uma análise neste livro, apenas histórias que aconteceram no decorrer desses 40 anos.”, adianta o professor e autor.

Kalyne aproveitou o momento para criticar o uso dos recursos jurídicos para fins de perseguição política, prática conhecida como Lawfare. A jornalista mencionou a presença do ex-secretário de saúde do município e professor do Instituto de Patologia Tropical e Saúde Pública da UFG (IPTSP/UFG), Elias Rassi, no evento. “O professor responde a 1.200 processos e acumula mais de R$ 80 milhões em multas, porém não teve a oportunidade de ser ouvido uma única vez pela Justiça. Nós colocamos essa história na parte final do livro, porque é um traço da história do Adufg-Sindicato também. Em 2019 a entidade lançou um livro também sobre este assunto”, pontuou Kalyne.

Pelo Adufg-Sindicato, também estiveram presentes o diretor administrativo, professor João Batista de Deus, a diretora de Assuntos de Assuntos Educacionais, de Carreira e do Magistério Superior, professora Geovana Reis, a diretora de Convênios e de Assuntos Jurídicos, professora Ana Christina Kratz, o diretor de Assuntos de Aposentadoria e Pensão, Abraão Garcia Gomes, e o diretor de Assuntos Interinstitucionais, professor Luís Contim.

 

Fonte: ADUFG-Sindicato

Tags:

Notícias Relacionadas

Agência Proifes

Menu