PROIFES | Federação de Sindicatos de Professores e Professoras de Instituições Federais de Ensino Superior e de Ensino Básico Técnico e Tecnológico

Comunicação

Notícias Sindicatos Federados

Diretoria do ADURN-Sindicato encaminha paralisação das atividades dia 28

Publicado em : 19/04/2017

No próximo dia 28, os docentes da Universidade Federal do Rio Grande do Norte irão paralisar as atividades. A decisão será encaminhada pela diretoria do ADURN-Sindicato por considerar importante parar a Universidade em defesa da Educação Pública e contra as propostas regressivas do governo de Michel Temer, que violam direitos trabalhistas e promovem o desmonte do Estado Social.

Com o objetivo de discutir a adesão dos docentes da Universidade Federal do Rio Grande do Norte ao Dia de Greve Geral, o ADURN-Sindicato convocou a 8ª Assembleia Geral Ordinária para esta terça-feira, 18 de abril. Obedecendo o horário para sua instalação, a primeira convocação aconteceu às 9h, no auditório da Biblioteca Central Zila Mamede, com segunda convocação às 9h30, contudo, não foi atingido o quórum necessário para sua realização.

Apesar de não ter sido realizado o debate, a diretoria do Sindicato, respaldada pela decisão da categoria em participar de todas as atividades convocadas pela Frente Brasil Popular e pela efetiva participação dos professores nas manifestações democráticas que vem sendo realizadas, encaminhará a paralisação das atividades acadêmicas no próximo dia 28.

“Numa conjuntura difícil, em que a correlação de forças não é favorável para os movimentos sociais e sindicais, e frente à violação dos direitos trabalhistas e do processo de desmonte do Estado Social e das políticas públicas educacionais, apostaremos na utilização do instrumento de paralisação”, esclarece o presidente do ADURN-Sindicato, Wellington Duarte.

Fonte: ADURN-Sindicato








A atual conjuntura: para além da Emenda Constitucional 95

A atual conjuntura: para além da Emenda Constitucional 95

 08/05/2018

 Adufscar

 Adufscar

A superação da atual rota de desastre anunciado, consequência do congelamento de verbas para as áreas sociais, por 20 anos, passa necessariamente pela revogação da Emenda Constitucional 95 (EC 95), que o determinou. Essa, contudo, não é [...]










GO!Sites