PROIFES | Federação de Sindicatos de Professores e Professoras de Instituições Federais de Ensino Superior e de Ensino Básico Técnico e Tecnológico

Comunicação

Notícias Proifes

Rede nacional de cursinhos populares Podemos+ organiza mutirão para isenção do Enem 2020

Publicado em : 16/04/2020

A rede nacional de cursinhos populares Podemos + (Rede de Cursinhos Podemos +) organizou um mutirão para ajudar estudantes a fazer o pedido de isenção da taxa do Enem 2020. O pedido pode ser feito até o dia 17 de abril e a equipe do Podemos + estará disponível para tirar dúvidas sobre o processo e também ajudar quem estiver com problemas na conexão com a internet. Os contatos podem ser feitos através da página do Facebook, do perfil do Instagram (@cursinhospodemosmais) e através do formulário: https://forms.gle/ggzPWF4QzYGsf5nEA

Nota pelo adiamento do ENEM

Nota sobre o calendário do ENEM 2020

No último dia 31 de março fomos surpreendidos com o edital do ENEM 2020 divulgado pelo Ministério da Educação. Segundo o ministro Abraham Weintraub: “Vai ter ENEM!”. O calendário prevê o período para pedido de isenção e inscrição para o ENEM nos meses de abril e maio e a realização da prova no mês de novembro. Ou seja, o calendário proposto pelo ministério da educação mantém datas semelhantes ao ano passado.

Nota-se uma imensa insensibilidade do governo federal quanto ao quadro social e educacional que estamos passando. Com o agravamento do cenário de contágio de COVID-19 no país, as medidas de isolamento social e paralisação de diversos serviços e atividades econômicas, ainda não temos condições de afirmar quando as aulas serão normalizadas e como será o seu calendário de reposição. O que podemos afirmar é que mudanças serão necessárias. Secretarias e o Ministério da Educação terão que tomar providências para a regularização do período letivo.

Nosso posicionamento é pelo ADIAMENTO do ENEM e suspensão do edital 2020 até que tenhamos um melhor panorama de como sairemos desse momento de crise.

Dado o contexto de crise, defendemos a suspensão do edital pelos motivos:

1. As medidas de isolamento social, a suspensão dos trabalhos nas escolas e a preparação para os exames. Para nós, que trabalhamos em cursinhos populares, nas diversas periferias do Brasil, é inconcebível que o ENEM seja mantido como se não houvesse um período de incertezas na educação brasileira. Os jovens que participam de nossos espaços educativos são em sua grande maioria de escolas públicas. Para esses jovens, o aprendizado dos conteúdos curriculares está estagnado enquanto se manter o cenário de isolamento social. A situação precarizada das escolas públicas e o perfil socioeconômico de nossos jovens não permitem que sejam desenvolvidas atividades de forma virtual, que exigem uma boa estrutura para estudos e acesso à internet. Medidas como essa, de manutenção do calendário do ENEM, reforçam as estruturas excludentes e elitistas das universidades brasileiras!

2. O limitado acesso a informação e as estruturas de apoio para efetuar os pedidos de isenção. Muitos estudantes são informados pelas escolas sobre o edital do ENEM, e utilizam a estrutura das escolas para a realização do pedido de isenção e para a inscrição. As escolas possuem estrutura de acesso à internet para os que não têm acesso em casa e auxiliam no esclarecimento do processo de preenchimento de dados. Com as escolas fechadas, como os estudantes sem acesso a informação e a internet em casa farão os pedidos de isenção e inscrição para o ENEM?


3. A imprevisibilidade em relação aos calendários acadêmicos das Escolas e Instituições de Ensino Superior. Como medida de prevenção a crise sanitária, o Ministério da Educação e os governos estaduais e municipais tomaram diversas medidas de suspenção e flexibilização dos calendários letivos. Mesmo a previsão do mínimo de 200 dias letivos da Lei de Diretrizes e Bases da educação passa por discussão. Dessa forma, as escolas e universidades estão observando a crise e construindo alternativas diversas, como cancelamento do semestre ou reposições de aulas ainda sem previsão. O que dificulta desde o processo de preparação dos jovens para a prova, como o ingresso das universidades.

4. A crise econômica e o agravamento das condições de vida dos jovens de escolas públicas. Outro fator que deve ser levado em consideração para o adiamento da prova está relacionado à questão econômica. O panorama social indica uma forte crise econômica, principalmente para as famílias trabalhadoras. Por mais que os estudantes e ex-estudantes de escola pública tenham, em sua grande maioria, acesso à isenção da taxa de inscrição, é sabido que muitos jovens não conseguem realizar o pedido de isenção. Não o conseguem devido às complexidades burocráticas, levando muitos à desistência do pedido. Num momento de grave crise econômica as famílias priorizarão as necessidades básicas, ao invés, de pagamento de taxas de exames vestibulares, como o ENEM. A tendência desse cenário é o agravamento das margens de exclusão social.

Estes elementos exigem que os setores ligados à educação e o todo da sociedade posicionem-se pelo adiamento do ENEM até que os calendários letivos sejam reestabelecidos. Manter o calendário de inscrições e aplicação de provas como está é uma afronta ao povo brasileiro, em especial aos mais pobres. Por isso, nos somamos à Campanha #ADIAENEM impulsionada pela União Nacional dos Estudantes (UNE) e a União Brasileiras de Estudantes Secundaristas (UBES), precisamos somar forças sociais e pressionar o Ministério da Educação para que adie o ENEM (Participe pelo link: http://adiaenem.com.br/).

Mesmo com esse contexto, estamos orientando nossas educandas e educandos que realizem o pedido de isenção da taxa de inscrição do ENEM entre os dias 6 e 17 de abril. Nosso posicionamento é para que o calendário seja adiado. Porém, estamos lidando com um governo neoliberal, conservador e sem abertura para diálogo social. Mesmo com argumentos contrários a manutenção das datas, não demonstrou, até o momento, abertura para mudanças no calendário.

Não queremos que o ENEM exclua ainda mais os jovens das camadas populares, por isso, faremos um cadastramento de voluntários e voluntárias para auxiliar nos pedidos de isenção de taxa e levantamento de jovens com dificuldades de acesso à internet e preenchimento do formulário – um Mutirão da Isenção ENEM 2020. Acreditamos que nesse momento, a solidariedade é pilar que deve nos sustentar para enfrentar essa crise. Essa ação precisa ser concretizada para ampliar ao máximo os pedidos de isenção, garantindo que a juventude trabalhadora não precise pagar a taxa de inscrição caso se mantenha o calendário ou seja alterado.

Rede de Cursinhos Populares Podemos+
06 de abril de 2020

https://www.facebook.com/cursinhospodemosmais/posts/217864302882885?__tn__=K-R
















ADUFG estreia nova temporada do programa Jurídico Responde

ADUFG estreia nova temporada do programa Jurídico Responde

 25/05/2020

O Sindicato dos Docentes das Universidades Federais de Goiás (Adufg-Sindicato) disponibilizou nesta segunda-feira (25/05), o primeiro programa da nova temporada do Jurídico Responde. No vídeo, publicado no canal da entidade no YouTube, o assessor jurídico Elias [...]


GO!Sites