PROIFES | Federação de Sindicatos de Professores e Professoras de Instituições Federais de Ensino Superior e de Ensino Básico Técnico e Tecnológico

Comunicação

Notícias Proifes

Conselho de Representantes do ADUFG se posiciona contra redução do benefício de insalubridade

Publicado em : 10/10/2019

Na tarde desta quinta-feira, 10 de outubro, foi realizada, na Sede Administrativa do Adufg, Reunião Extraordinária do Conselho de Representantes do Sindicato. A pauta contou com informes, debate sobre o Programa Future-se, sugestão e análise de estratégias de engajamento de docentes nas manifestações pró-Educação e o andamento dos processos de avaliação da insalubridade na Universidade Federal de Goiás (UFG). 

O destaque dos informes ficou por parte de evento para entrega de Moção de Aplauso para 19 professores e gestores responsáveis pelos cursos de graduação da UFG que conquistaram nota máxima no Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade). A solicitação para entrega das homenagens partiu do vereador Anselmo Pereira, após pedido do presidente do Adufg-Sindicato, Flávio Alves da Silva. O evento acontece na próxima quinta-feira, 17 de outubro, a partir das 10 horas no Plenário da Câmara Municipal. 

Logo em seguida, o Programa Future-se entrou em pauta. O projeto foi definido pelos presentes como inconstitucional, por estabelecer que universidades federais tenham que angariar fundos para o seu funcionamento, já que a Constituição Federal garante que a verba para manutenção do Ensino Público precisa ser fornecida pela União.

Outro consenso da equipe participante da reunião é que a UFG não irá aderir ao Future-se. Apesar de ainda não publicado, o projeto passa por alterações após consulta pública e já foi rejeitado por diversos grupos representativos dentro da UFG, como o próprio Conselho Universitário, os movimentos estudantil e o docente. 

O engajamento dos docentes em manifestações pró-Educação também foi debatido. Ainda que exista o entendimento de que os professores e professoras estejam desanimados devido à falta de diálogo com o governo, o Adufg acredita que uma mobilização forte, organizada e consciente possa ocasionar mudanças reais no cenário atual.

A diretora de Convênios e de Assuntos Jurídicos do Adufg, Ana Christina Kratz,  defendeu que os docentes precisam ter um maior conhecimento sobre as consequências futuras dos projetos apresentados pelo governo. “Essas propostas trazem mudanças que afetam a espinha dorsal do que foi estabelecido pelo Estado Democrático” explica a docente, ao analisar tanto o Future-se, quanto a Reforma da Previdência. 

Projeto Adufg Itinerante

Na busca por uma maior participação docente nas manifestações e a fim de expor, de forma prática e concisa, as graves consequências desses projetos, o Sindicato está desenvolvendo a proposta do “Adufg Itinerante”. O programa levaria parte da equipe da instituição para conversar diretamente com os professoras e professores de diversas unidades acadêmicas da UFG.

O objetivo é que esse contato mais pessoal, com uma conversa frente a frente, seja capaz de mobilizar mais docentes, assim como expor as atividades desenvolvidas pelo Adufg e os serviços ofertados pelo Sindicato. 

Por fim, o andamento dos processos de avaliação da insalubridade em unidades da UFG foi pleiteado. O benefício de insalubridade é um adicional concedido a docentes e colaboradores que têm contato com agentes nocivos à saúde durante o desempenho de suas atividades. O provento é fornecido em três níveis: sendo 10% para casos de exposição mínimos, 20% para médios e 40% para máximos. 

A UFG tem feito análises e elaborado relatórios para a definição e, na maior parte dos casos, diminuição da porcentagem concedida desse benefício. A grande crítica por parte dos docentes é que esses relatórios têm diversas falhas e não expõe a realidade do trabalho da grande maioria dos profissionais.

Em vista dessas problemáticas, que já tem afetado inclusive docentes da Escola de Veterinária e Zootecnia (EVZ) da UFG, o Conselho Representativo do Sindicato decidiu por realizar reunião com os professores e professoras do Instituto de Ciências Biológicas (ICB) para a definição de meios de enfrentamento quanto à imposição de diminuição do adicional de insalubridade.

Fonte: Ascom ADUFG

















GO!Sites