PROIFES | Federação de Sindicatos de Professores e Professoras de Instituições Federais de Ensino Superior e de Ensino Básico Técnico e Tecnológico

Artigos

Primeiro de maio na Terra Brazilis: O que os trabalhadores têm a comemorar?

Publicado em : 02/05/2017

Por Wellington Duarte*

Após quase um ano em que o Golpe foi desfechado no Senado, depois da bizarra “noite dos palhaços mortais”, produzida pelos deputados que votaram pelo prosseguimento do processo de impedimento da então presidenta Dilma, o que os trabalhadores brasileiros tem a comemorar?

As promessas vazias e mentirosas de que a deposição de um governo legitimamente eleito traria mudanças positivas para o país, trouxe o que já se sabia: os derrotados históricos assumiram o poder e começaram a implantar à fórceps a maior destruição dos direitos sociais já vista na história desse país.

Após esse período os trabalhadores perderam programas sociais; viram recursos públicos na área de educação, ciência e tecnologia e outras áreas sociais virarem pó; perderam toda e qualquer forma de comunicação com o governo; conheceram o fantasmas do desemprego e da redução da sua renda real.
Se nos treze anos passados a luta dos trabalhadores se dava em função de melhoria de vida e de ascensão social, além da sempre presente luta pelos investimentos públicos, agora a classe trabalhadora está virtualmente sob o tacão dos neoliberais mafiosos que assaltaram o poder.

Com o desemprego batendo os 14,5 milhões de pessoas, o subemprego retornando a passos largos, o “bico” retomando sua trajetória e o desalento tomando conta das milhares de famílias que tiveram suas vidas interrompidas pelos palhaços da Abafa a Jato e pelo infame e desonesto governo, que conta a massa dos meios de comunicação para empurrar cérebro a dentro a sua versão bizarra de que destruindo as relações de trabalho e acabando com a previdência pública melhorará a vida das pessoas, a única solução para os trabalhadores é RESISTIR.

Os que se apoderaram do poder não tem nenhum interesse em melhorar a vida dos trabalhadores já que os olham como uma peça na máquina de reposição e ampliação do estoque de Capital nas mãos dos setores empresariais mais poderosas e da elite financeira, perdulária e atrasada. E os trabalhadores sentem isso na pele no dia a dia. À exceção das grandes corporações que oferecem boa qualidade de salário e de trabalho para seus funcionários exatamente para tirar mais deles, a massa de trabalhadores vivem sob a permanente ameaça de desemprego e submetidos à condições de trabalho que em alguns setores parece não saído ainda dos primórdios do capitalismo.

Na Terra Brazilis os milhares de trabalhadores e dos que já se aposentaram, vivem uma situação de periculosidade e de ampliação dos retrocessos. Se os trabalhadores não derrotarem esses golpistas, terão que sobreviver num país em que o trabalhador se matará de trabalhar e será “moldado” pelos meios de comunicação para achar que “é o jeito” e de que sua condição de trabalhador o condenou a ser um apêndice na formação da riqueza do país e apêndices podem ser extirpados a qualquer momento.

Nesse Primeiro de Maio de 2017 a classe trabalhadora encontra-se do gigantesco desafio de resistir ao retrocesso, retomar a democracia e reviver o sonho de dias melhores.

Viva a luta eterna da classe trabalhadora por um futuro melhor!

* Presidente do ADURN-Sindicato, professor do Departamento de Economia da UFRN, mestre em Desenvolvimento Regional e doutor em Ciência Política pela UFRN


Contrarreforma Trabalhista: justificativa e tramitação

 24/04/2017

Por Wellington Duarte* Qual o motivo da pressa em aprovar, a toque de caixa, a reforma trabalhista, que na prática acaba com a Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT)? Por que se tem utilizado manobras estilo Eduardo Cunha, para empurrar goela abaixo a dita reforma? A [...]


O machismo mata mais que o cigarro

 24/04/2017

Rosana Maria Ribeiro Borges* Na tarde de hoje tive que ir à Sede da Unimed Goiânia para resolver uma questão. Parei o carro no Estacionamento Carneiro, situado na T1 logo abaixo da Unimed, porque, por ali, achar uma vaga na rua é algo muito difícil. Quando [...]



A proposta de reforma previdenciária de Temer e a mulher

 17/02/2017

Francis Campos Bordas Segundo dados oficiais do Ministério da Previdência Social (MPS) e do Ministério do Orçamento e Gestão (MPOG), as novas regras de aposentadoria e pensões constantes na Proposta de Emenda Constitucional 287 (PEC 287) encaminhada ao [...]


Professora, homossexualidade não é crime!...

Professora, homossexualidade não é crime!...

 20/10/2016

  Empório do Direito - http://emporiododireito.com.br/professora-homossexualidade-nao-e-crime-mas-o-preconceito-mata-pessoas-por-bartira-macedo-de-mira

 Bartira Macedo de Miranda Santos – 19/10/2016

A tua piscina tá cheia de ratos Tuas ideias não correspondem aos fatos Cazuza   Dizer que homossexualidade não é crime parece uma afirmação absurda pela sua obviedade. Mas, infelizmente, estamos num tempo em que é preciso [...]



Artigo: por que homenagear a Universidade nos 70 anos?

 11/07/2016

Por Joviniano Neto, diretor social e de aposentados da Apub. Pronunciamento na Aula Inaugural da UFBA em 05/07/2016 Porque esta universidade foi o sonho, o projeto, o espaço, durante muitos anos o único, e atualmente o maior, que a Bahia escolheu como Centro de [...]






PL 4330 – A terceirização desenfreada precisa ser freada

 15/04/2015

Fonte: ADUFG-Sindicato 14 de abril de 2015 Por Remi Castioni As centrais sindicais reconhecidas pelo Ministério do Trabalho e Emprego – CUT, CTB e NCST -, marcaram para o dia 15 de abril, o dia nacional de paralisação contra o PL 4330, aprovado a toque de caixa [...]



Sustentabilidade energética

 18/02/2015

Por Waldir Leite Roque, doutor em Matemática e professor da UFPB Publicado no Correi da Paraíba, em 13 de fevereiro de 2015. O Brasil sempre se vangloriou por ser o país que produz a maior parte (70%) da sua energia elétrica, a partir de [...]



GO!Sites